Na tarde de terça-feira (23), grande quantidade de material se formou na queda de água logo após a rotatória da avenida Saudade

Machadinho apresenta espuma há pelo menos cinco dias

Na sexta-feira (26) ainda havia espuma

Desde o início da semana, uma grande quantidade de espuma na água do córrego Machadinho está chamando a atenção das pessoas que passam pela avenida Joaquim Pompeu de Toledo. Nem mesmo a chuva que caiu na noite passada, que aumentou o volume do córrego, conseguiu eliminar totalmente a espuma.

A reportagem da Folha da Região fez imagens na tarde de terça-feira (23) de grande quantidade de material que se formou na queda de água logo após a rotatória da avenida Saudade. Antes desse trecho, o córrego é canalizado. A partir daí, por toda extensão havia espuma, que se formou principalmente em outros pontos onde há quedas d’água. 

Na tarde de quinta-feira (25) ainda havia espuma na água do córrego. No início da tarde desta sexta-feira (26), a reportagem voltou ao local e constatou que ainda há espuma, apesar de o volume de água ser maior, devido à chuva da noite anterior.

NORMAL
Segundo a Secretaria Municipal do Meio Ambiente, apesar de essa espuma não ser natural, ela é normal. “Além de ter pequenas quedas pelo leito do córrego, nele também cai águas pluviais, e quando, por ventura, alguém lava a calçada com sabão em pó, isso escorre diretamente para os córregos e rios, infelizmente”, informa em nota.

Segundo a pasta, o material surge devido às quedas de água que existem naquele trecho, pois a mistura de ácidos húmicos com qualquer quantidade variável de detergentes misturado à água pode gerar essa espuma. A situação se agrava quando não há chuva, pois o material fica menos diluído, segundo a secretaria.

Ainda de acordo com a pasta, técnicos vistoriaram o córrego e não localizaram pontos ilegais de despejo de esgoto. “Nosso Departamento de Fiscalização pode averiguar, caso haja alguma denúncia”, informa em nota.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.386197