Larissa Alves é membro da UBE (União Brasileira dos Escritores)

Larissa Alves: Vai, vai

- Menina, mas você é chata! Pelo amor de Deus! Meu Deus do céu! 

E o homem alto e forte, de cabelos já grisalhos, iria continuar a praguejar com seu vozeirão, mas parou ao olhar para a moça encolhida no canto da mesa e ver seus olhos magoados e molhados fitando-o.

- Os céus me perdoem. Passou a mão grande pelos cabelos e sentou-se no banco à frente dela, encolhendo os ombros e dando um tom mais ameno à própria voz.

- Menina... você precisa entender que a vida é assim. Não é de outro jeito.

E que sempre haverá quem lhe magoe e quem queira lhe magoar. E precisa aprender ainda mais. Que isto é Bíblico, sim! Mas que coisa...

Deixe este povo que enche sua cabeça e que tenta azedar sua alegria para lá. Deixe!

Esse povo que não sabe de nada. E que não quer saber. Esse povo que se alegra na maldade da língua solta. Esse povo que tem ouvidos que coçam para se deleitar em mentiras e em deboches. Esse povo que tem os pensamentos rasos, a alma vazia e os pés rápidos para fazer maldade. 

Deixe, porque eles sempre existiram e sempre vão cruzar o seu caminho. Agarre a fé que Deus lhe deu de conhecer e deixe pra lá. Aceite que assim é a vida e que sempre será. Não perca a paz, não enlouqueça os pensamentos.

Tolos insanos. Tolos que rompem uma amizade por causa de política. Que rompem laços por causa de calúnias. Que roubam esperanças por causa de preconceitos. 

A vida requer sabedoria, menina. E sabedoria é ter jogo de cintura. É um pé lá e outro aqui. E saber quando é a hora de mudar de passo e qual é o ritmo que a música está tocando no momento.

O Deus da Bíblia hora foi trovão, hora foi brisa suave. Não existe fórmula pronta. 

Leia! E deixe os tolos para lá. Tolos que querem enquadrar Deus em uma caixinha. Que apertam a forma e esquartejam os irmãos para caber dentro dela. Tolos que não têm conhecimento. Que repetem o que não compreendem. 

Vão pela vida como tratores. Passando por cima da alegria e da fé de muita gente. Saia do caminho deles, menina! E pare de se lamentar. E isto é bíblico também.

Quem foi que disse que você tem que andar com todo mundo? Que tem que andar com quem te ofende o tempo inteiro? Quem foi que disse que todo mundo vai andar contigo? 

Mas que tolice. Espiritualidade também é bom senso. Ora, faça-me o favor. A fé também requer maturidade. Acha que um Deus que criou um universo tão grande, uma natureza tão colorida não gosta da diversidade?

Até a linguagem de amor precisa ser adaptada a cada situação. Você dá um presente a alguém e este alguém se sente amado. E você dá um presente a outro alguém e por causa dos recalques e complexos que a pessoa carrega, ela pode se sentir agredida ou humilhada.

Entende isto? Pois pare de dar ouvidos a tolos, que só querem lhe roubar a paz. Cada caso é um caso. Cada situação é única. Mesmo que existam parâmetros, é preciso estar atento para as diferenças.

E é por isso que precisamos do sobrenatural, menina. Não tem senso nem sabedoria em rejeitar o sobrenatural. Precisamos do sobrenatural para conseguir enxergar além do natural, além de nossos sentidos. Precisamos do sobrenatural para poder distinguir as situações e agir com sabedoria.

E depois, precisamos da fé. Porque sempre erramos e precisamos continuar. É a fé que nos faz continuar tentando fazer o nosso melhor. 

- Chega. Enxuga este rosto. Já me emocionei mais do que devia. Deus não precisa de advogados. Mas de testemunhas do seu poder e de sua misericórdia. Vai, menina. Vai lá pro samba. Você está precisando treinar o jogo de cintura. Passo a passo. Um de cada vez. 

LINK CURTO: http://folha.fr/1.384534