Xavier investiu em queijos que, ao serem cortados, revelam um interior preenchido com vários ingredientes

Inovação e criatividade para vencer concorrência na região

Empresas da gastronomia apostam na reformulação de produtos

Inovação e criatividade são artifícios capazes de proteger um empreendimento contra obstáculos de um mercado competitivo. Com isso em mente, empresas da gastronomia ativas na região apostam na reformulação de produtos tradicionais para driblar a concorrência com ingredientes, embalagens personalizadas e serviços de entrega diferenciados. 

A aposta do empresário e publicitário Diego Félix, de Araçatuba, foi em cachorros-quentes diferentes dos lanches que o consumidor brasileiro está acostumado a comer. Há aproximadamente cinco meses ele iniciou as atividades da empresa Capitão Jack Hot & Chilli Dog com receitas próprias inspiradas na culinária norte-americana. “Eu pensei o seguinte: como vou trabalhar com um produto comum, tenho que fazer diferente. Então, para agregar valor, eu trouxe a personalização com as embalagens, a matéria-prima importada e um diferencial na entrega”, conta.     

O QUE VAI
Com preços entre R$ 11,90 e R$ 23,90, as dez opções do cardápio da empresa incluem ingredientes como salsichas norte-americanas e italianas, queijo flambado com maçarico, molho chilli, cebola caramelizada, pepperoni, cream cheese, molho de chimichurri e bacon importado. 

O empresário mesmo criou artes para estampar caixas e pacotes onde os produtos são servidos para desenvolver uma identidade visual da marca. Como a empresa trabalha exclusivamente com delivery e pedidos feitos via redes sociais ou aplicativos, Félix chamar atenção do público fantasiando seus entregadores como super-heróis. “A resposta foi uma explosão. Nunca tive um negócio que na primeira semana se pagou”, conta o empresário, que diz estar há 12 anos no comércio. 

Segundo ele, as entregas foram feitas com apenas uma motocicleta no primeiro dia. Porém, a demanda tornou necessária a ampliação da frota para as atuais oito motos. Com o sucesso, a empresa irá lançar duas linhas novas de lanche - infantil e premium; abrir uma filial em Birigui em maio e está em diálogo com a ABF (Associação Brasileira de Franchising) para a criação de uma franquia, relata Félix.

POR DENTRO
Queijaria Artesanal Irmãos Xavier, com produção em Alto Alegre, trabalha com um produto habitual na mesa do brasileiro - porém, os recheios das mussarelas e provolones oferecidas pela empresa fogem do lugar-comum. Para se sobressair no mercado, o empresário Fernando Costa Xavier investiu em queijos que, ao serem cortados, revelam um interior preenchido com Nutella, salame, azeitonas chilenas curtidas em vinho, damasco, tomate seco, doce de abóbora com coco e pimenta, entre outros. 

Inicialmente, ele e o irmão Alex Sandro Costa Xavier, do qual é sócio, comercializavam mercadorias encomendadas de outra pessoa, que as confeccionavam a partir das ideias de Fernando. Há cerca de um mês, a empresa viu a necessidade de ampliar o processo com a instalação de fábrica própria em Alto Alegre. 

“Agora tudo é ilimitado. Tenho as ideias e o próprio time faz. E está dando uma repercussão muito positiva, graças a Deus”, conta Fernando. Segundo ele, a diferenciação do produto permite uma valorização. O empresário revela que enquanto uma mussarela comum é vendida por R$ 14, o quilo, ele consegue comercializar uma versão artesanal por R$ 26, o quilo, e a mussarela curtida em vinho por R$ 80, o quilo.

PRODUÇÃO
Por dia, a produção utiliza aproximadamente 400 litros de leite. O cardápio da empresa é composto por 81 itens e os empreendedores planejam novidades. A mais recente foram barquinhas de queijo para que o consumidor possa experimentar um pouco da diversidade. A comercialização dos produtos é feita por meio da empresa Cia. do Queijo, de Penápolis, também da família, com pedidos feitos via Facebook e Whatsapp. 

O empresário afirma que entrega as mercadorias da queijaria para clientes de municípios como Lins, Promissão, Birigui, Araçatuba, Coroados, Avanhandava, Glicério, São José do Rio Preto e Bauru. Além disso, a empresa recebe encomendas de outros Estados, como Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. “É até engraçado falar que um queijo de Alto Alegre vai para Minas.”

LINK CURTO: http://tinyurl.com/l7yj6dc