Para ex-presidente, junção representa segunda data mais importante da Cobrac, que foi criada em 1965

Incorporação da Cobrac pela Coopercitrus deve proporcionar investimento e inovação

Para este ano, está prevista ainda aplicação de mais R$ 500 mil

Além de representar a junção de duas cooperativas com décadas de tradição no agronegócio nacional, a incorporação da Cobrac (Cooperativa Agropecuária do Brasil Central) pela Coopecitrus (Cooperativa de Produtores Rurais), oficializada em 1º setembro, significou a soma de um capital financeiro que resultou em um patrimônio líquido total de aproximadamente R$ 930 milhões. A união das duas sociedades traz expectativas de modernização para a agropecuária da região e investimentos. 

Segundo o diretor-presidente da Coopercitrus, José Vicente da Silva, o objetivo para um futuro próximo é transformar a unidade araçatubense em um polo regional, nos moldes dos já mantidos pela cooperativa em Bebedouro (onde fica sua sede), Ribeirão Preto, Barretos e Uberaba. “A gente pretende fazer de Araçatuba dos nossos polos, que servirá como centro de logística e recebimento da produção de grãos.” Ele relata que a Coopercitrus passa a oferecer para o cooperador da região o atendimento integral com assistência técnica, tecnologia, fornecimento de insumos e máquina, além do recebimento e comercialização da produção dos associados. 

ADEQUAÇÕES
Silva esclarece que, desde quando arrendou a área de silos e agroindústria da Cobrac, há aproximadamente um ano e meio, a Coopercitrus investiu mais de R$ 2 milhões em adequações na região. A incorporação foi um processo oficialmente iniciado no final de 2015, com a assinatura de protocolo de intenções firmado por representantes das duas cooperativas. As ações recentes incluem o início da reativação de silos que pertenciam à Cobrac em Andradina, reservatórios que já começaram a receber soja de Araçatuba durante a atual safrinha do milho. 

O ex-presidente da Cobrac Sérgio Gottardi Paoliello, que, após a incorporação, passa a atuar como consultor da Coopercitrus, adianta que está prevista para ser efetuada ainda em 2017 uma aplicação de mais R$ 500 mil em novas melhorias das estruturas de Araçatuba. “Eu costumo dizer que a história da Cobrac tem duas datas fundamentais: sua criação, em outubro de 1965, e a incorporação, em setembro de 2017”, afirma. 

De acordo com ele, a cooperativa fundada em Araçatuba foi incorporada com um patrimônio líquido de R$ 80 milhões, o que inclui imóveis rurais e urbanos e o restante do ativo da cooperativa. Esse valor se junta aos R$ 850 milhões da Coopercitrus, a maior cooperativa do agronegócio paulista. “Passamos para a Coopercitrus também uma carteira de ações de créditos de R$ 18 milhões. Tudo depende do judiciário, mas se houver ganho, são mais de R$ 18 milhões que viriam para as estruturas.” 

COMPROMISSOS
No ato da incorporação, a cooperativa sediada em Bebedouro se comprometeu a investir todo o valor originado dessas ações que tiverem sucesso em Araçatuba, destaca Paoliello. Outra obrigação assumida por ela foi direcionar para a unidade no município todos os montantes acumulados com a eventual venda de imóveis que antes pertenciam à Cobrac. 

A Coopercitrus também firmou um compromisso de transformar a área onde ficam os silos, fábricas e oficina de Araçatuba em um centro comercial, com transferência de seu shopping rural para o terreno, com mix de produtos que incluem até equipamentos e serviços voltados para a agricultura de precisão. 

De acordo com Silva, a Coopercitrus pretende difundir a tecnologia entre seus cooperados de Araçatuba e região, facilitando o acesso a ela. Ele explica que o uso de agricultura de precisão aumenta em até 30% a rentabilidade da produção agrícola, incremento que deve gerar impacto na economia regional, já que o agricultor irá também utilizar os recursos que ganhar a mais na aquisição de compras no comércio ou contratação de serviços locais.


História de cooperativa começou
com fusão ocorrida há 41 anos

A prática de união intercooperativista faz parte da história da Coopercitrus, que se originou há 41 anos da fusão entre uma cooperativa de Bebedouro, a Cooperativa Agropecuária da Zona de Bebedouro, criada em 1964, e a Cooperativa Agrária dos Cafeicultores D’Oeste de São Paulo, com sede em Monte Azul Paulista, fundada na década de 1950.

A Coopercitrus, organização sediada em Bebedouro, atua em todo o Estado de São Paulo, além do Triângulo Mineiro e o sul de Minas Gerais. A cooperativa tem ainda 60 lojas (um grande mercado em potencial para produtos armazenados ou fabricados na agroindústria da unidade de Araçatuba), 19 postos de combustíveis e quatro unidades de TRR (Transportador-Revendedor-Retalhista). A Coopercitrus fechou 2016 com faturamento de R$ 3 bilhões e tem a expectativa de terminar 2017 com valores semelhantes. 

Antes da incorporação da Cobrac, a Coopercitrus tinha 26.654 cooperados cadastrados, aos quais se somam, a partir da união das duas cooperativas, os 1.209 da sociedade de Araçatuba. 

INSTALAÇÕES
As instalações agroindustriais da Cobrac em Araçatuba, que passam a pertencer à Coopercitrus, incluem duas balanças para veículos pesados — uma com capacidade 120 toneladas e a outra de 60 toneladas, um tombador para acelerar o descarregamento de soja e milho, fábrica de ração, fábrica de sal e oito silos com capacidade total de receber 26 mil toneladas de grãos. Há ainda três silos em Andradina que podem armazenar 16 mil toneladas de soja, milho e sorgo. 

Em Araçatuba, a cooperativa mantém ainda um centro comercial na rua Conde Francisco Matarazzo, com prédios destinados para a locação, que passam também para a Coopercitrus. O local também está recebendo melhorias em infraestrutura e tem previsão de passar por novas adequações. 

VEJA AQUI OUTRAS REPORTAGENS SOBRE A SÉRIE
'NASCE UM NEGÓCIO QUASE MILIONÁRIO'
LINK CURTO: http://folha.fr/1.361463