Hora de a Prefeitura pensar no trânsito em Araçatuba

Foi um importante passo para a segurança viária de Araçatuba a assinatura, na semana passada, do protocolo de intenção "Vida, dê preferência", projeto desenvolvido pelo governo do Estado com o objetivo de reduzir o número de mortes no trânsito a partir de 2020. A iniciativa prevê parcerias com 52 municípios paulistas, com investimentos de R$ 100 milhões em segurança no trânsito. 

O recurso seria proveniente do montante arrecadado pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito) com multas. Conforme a Secretaria de Segurança Pública do Estado, em média, Araçatuba registra quatro acidentes de trânsito por dia. Por esta razão e dadas as dificuldades orçamentárias da administração municipal para fazer mudanças mais profundas no trânsito, o dinheiro que vier do governo paulista para essa finalidade será muito bem-vindo. É uma questão importante que o governo do prefeito Dilador Borges (PSDB) precisa dar a devida atenção. 

Foi o próprio secretário municipal de Planejamento da gestão tucana, Ernesto Tadeu Consoni, que também responde pela Mobilidade Urbana, quem, no início do ano, apresentou estudo segundo o qual 80% das placas de sinalização em ruas e avenidas de Araçatuba estão irregulares. 

A sinalização é fundamental para que os munícipes sejam bem orientados, além, é claro, de efetivas ações de educação no trânsito. Isso é o mínimo a se esperar do poder público, não só com a arrecadação de multas, como pelo volume financeiro obtido com o IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores).

É importante frisar, no entanto, que o trânsito seguro passa ainda pelas boas condições de tráfego. Araçatuba tem um problema crônico de infraestrutura a resolver, que reside na buraqueira e na má qualidade de seu asfalto, situação recorrente até mesmo em vias de grande tráfego. Quantos acidentes já não ocorreram em ruas e avenidas simplesmente porque um motorista ou motociclista tentou desviar de uma cratera? Ou seja, nenhum investimento em melhoria no trânsito vingará se esse gargalo não for resolvido.

A administração passada, do ex-prefeito Cido Sério (PT), havia colocado como uma das prioridades do segundo mandato a mobilidade urbana. Porém, deixou a desejar em ações mais efetivas nesse campo. Coincidência ou não, a assinatura do termo ocorreu na mesma semana em que a Câmara aprovou o Plano de Mobilidade Urbana, que há tempos aguardava um aval dos vereadores. 

Pode estar aí um passo importante para que o município inicie um programa eficiente nessa questão. Como cidade sede regional e polo de setores como a educação e a gastronomia, Araçatuba tende a ver sua frota de veículos crescer a cada ano. Daí, a necessidade de uma política eficaz voltada ao trânsito.