O ator Antonio Petrin (esq.) é uma das atrações do segundo maior festival de teatro do interior do Estado

Festival de teatro com estrelas

Festara começa nesta segunda-feira em Araçatuba

Num ambicioso projeto de valorização da cultura teatral, a Associata (Associação dos Artistas Teatrais da Região de Araçatuba), em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e o Sesc, realizam o 14º Festival de Teatro de Araçatuba, o Festara, que começa nesta segunda-feira (27) e vai até 3 de dezembro. O tema deste ano é “A Arte que Floresce”. 

O festival contará com a apresentação de 15 companhias vindas de São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná, com a participação de mais de 150 atores, produtores, técnicos e diretores. No total, serão 24 apresentações em 15 espaços diferentes para o público participar e interagir. 

Dentre os nomes que atuarão nos palcos, estão Maria Alice Vergueiro, Georgette Fadel, Antonio Petrin e Roberto Arduin. O Festara é o segundo maior festival de teatro do interior do Estado e tem, entre outros objetivos, movimentar cultural e economicamente a cidade e a região. 

“A realização do Festival de Teatro de Araçatuba tem o objetivo de promover intercâmbio cultural, técnico e social entre grupos e companhias, tecendo um panorama da arte teatral em nosso Estado, proporcionando ações de pluralidade técnica, fomento, incentivo, debate, reflexão, difusão, provocação, experimento, investigação, encontro, diálogo, questionamento e formação artística”, explica o presidente da associata e diretor geral do Festara, Caíque Teruel.

Para ele, a expectativa é que o festival se propague a partir deste ano, fazendo com que o status do evento ultrapasse os estágios nacionais e granhe projeção internacional. Exemplos de mostras teatrais que impulsionam o grupo a tornar o Festara ainda maior são o FIT (Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto) e demais espetáculos do tipo em São Paulo e Curitiba. 

ESCOLHA 
Segundo o diretor geral do evento, o tema do evento foi escolhido pelo fato de o Festara ser “uma semente que foi plantada há 14 anos e, em todos esses anos, dar frutos e ser replantado a cada edição”. Para ele, o evento continua “florescendo” a cada ano e isso motiva o setor cultural da cidade em vários aspectos. 

“Nós temos um curso técnico de arte dramática no Senac, que nasceu de um plantar do Festara. Todas as pessoas que recebem isso são plantadas culturalmente. Queremos que essas pessoas sejam incentivadas a ver arte, não só no teatro, mas todas as atividades da Secretaria de Cultura e do Senac”, explica Teruel. 

QUALIDADE
O presidente destaca que outro objetivo do evento é “proporcionar à população espetáculos teatrais de qualidade e gratuitos, contribuindo para a formação cultural e intelectual de cada indivíduo, além de auxiliar no aprimoramento técnico e artístico dos grupos teatrais existentes na nossa cidade e contribuir para a formação de dos novos artistas”.

Teruel ressalta a “difusão”, o “fomento” e os “debates” no conjunto de ações que se movem no evento. “Difundir a arte teatral no município e trabalhar a formação de plateia são outros objetivos do festival, que caminha ao encontro da política pública cultural adotada pelo município.” 

PEÇAS 
Algumas peças que serão apresentadas no Festara são “Why the horse?”, do grupo Pândega, de São Paulo; “Grazzi Ellas”, do grupo Divina Decadência de Londrina (PR); “Afinação 1”; com Georgette Fadel; e “Desamador”, do grupo Teatro Individuo, também de São Paulo. A grade completa do evento será divulgada na sexta-feira.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.375005