Fechou

Será mais uma ação face ao ex-prefeito que já responde a 19 processos por improbidade

A empresa responsável pela colocação do piso na praça Rui Barbosa, em Araçatuba, fechou. Cobrada pelo município sobre alguns pontos que necessitariam de reparos, enviou ofício, assinado pelo proprietário, informando que não poderia efetuar a reforma devido ao fato de não mais estar em operação. 

Até aí, nenhum estranhamento devido à crise econômica e ao fato de que muitas empresas são criadas para realizar um serviço determinado, participando de certames dirigidos, infelizmente.

Entretanto, causa estranheza o teor do documento enviado à Prefeitura, já que o motivo de a empresa ter sido levada à bancarrota é, justamente, a suspeita de exigência de propina por parte do ex-prefeito Cido Sério, à época eleito pelo PT, para realizar o pagamento de aditamento no contrato, já que a previsão orçamentária não foi suficiente para todo o serviço. Ainda assim, a reforma da praça foi feita e entregue e, segundo o proprietário, em nota, ainda foram feitos dois reparos após a finalização da obra.

Caso seja confirmada a exigência de propina para pagar a diferença que, segundo o empresário, havia sido medida e confirmada pela área de engenharia da Prefeitura, deverá o ex-prefeito responder por seus atos. Ou os prejuízos ficarão, novamente, para o município, em um primeiro momento? Será que as supostas propinas eram tão escancaradas assim no governo municipal, como no federal? Em que nível está a política brasileira?

Perguntas como estas devem estar na mente dos cidadãos de bem que, dia após dia, labutam para tentar cumprir com todas as suas obrigações. A pior de todas as questões é a que ponto chegam os escrúpulos de políticos de carteirinha que acabam por prejudicar, até mesmo, empresários que tentam ser honestos. 

Com certeza, caso se confirme, este fato ocorrido não é isolado. É um entre vários que deixaram de ser noticiados e que estão engavetados e entalados nas gargantas de diversas pessoas. Se o povo não se libertar dos fantasmas que se apropriam do dinheiro público dia após dia, não há esperança para a nação.

Será mais uma ação contra o ex-prefeito, que já responde a 19 processos por improbidade e outros problemas da sua gestão. Ainda com todas essas acusações, Cido Sério, que agora está no PRP, almeja se candidatar a deputado - por isso, a dança das cadeiras para troca de partido. Verdade seja dita: antes de ser julgado nas urnas, deveria ser barrado pela própria Justiça Eleitoral, assim como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. 

É vergonhoso para o País ter tantos candidatos ficha-suja, que usam e abusam do seu poder econômico, se apresentando como opções para o povo, que é obrigado a votar, eleger. Dos candidatos a qualquer cargo que depende do voto dos eleitores deveria ser exigida conduta ilibada em termos de administração pública, para evitar que busquem, seguidamente, foro privilegiado devido à sua condição de estar em cargo eletivo. Não é questão de julgar ou condenar antes da sentença, mas de resguardar o falido sistema eleitoral brasileiro.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.396320