Lâminas com informações sobre DNA serão adaptadas para a aquicultura

Estudo faz mapeamento genético da tilápia

Objetivo é ajudar na seleção de exemplares

Utilizar o melhoramento genético para elevar a qualidade da carne é uma realidade para a pecuária de corte da região. Mas um pesquisador da Unesp de Araçatuba, que já coordenou estudo que desvendou sequenciamento genético do nelore, tem como foco atual possibilitar que a ferramenta também seja aplicada na criação de tilápia. 

O especialista em genômica José Fernando Garcia conduz grupo que está mapeando a genética do peixe. O objetivo é ajudar na seleção de exemplares utilizados para a reprodução e possibilitar uma melhora nas características dos produtos da aquicultura.

Nativa da África, a tilápia concentra a maior produção de peixes em cativeiro do País, representando 45,4% do total, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). No Estado de São Paulo, os municípios de Santa Fé do Sul, Rifaina e Zacarias lideram a criação do peixe. A aquicultura da região de Araçatuba, encabeçada por criações de Ilha Solteira, Sud Mennucci e Buritama, produziu 1.161 toneladas de tilápia em 2015, 74% a mais que as 667 toneladas do ano anterior. 

INCENTIVOS
Garcia esclarece que o fato de o noroeste paulista ser um centro de criação de tilápia e o alto consumo do peixe no País incentivaram que ele direcionasse seus estudos para o animal. “É um peixe com grande penetração que conquistou o mercado. Qualquer lugar em que você vá tem prato feito com tilápia”, afirma. 

Graduado na Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP (Universidade de São Paulo), Garcia conta que há 27 anos trabalha com genômica, ciência dedicada a analisar o conjunto de genes que regem os seres vivos. 

O estudo coordenado pelo pesquisador sobre o nelore, apresentado pela Unesp em 2011, decifrou as sequências do DNA dessa raça bovina. Com isso, o grupo de pesquisadores da instituição desenvolveu uma ferramenta chamada SNP Chip zebuíno, que são lâminas que contém informações sobre o DNA dos animais e podem ser analisadas por pesquisadores da área. 

Leia esta notícia na íntegra em nossa edição digital para assinantes
LINK CURTO: http://tinyurl.com/kajy7v7