Entre as irregularidades existentes no zoo estão a falta de documentos, como a autorização de manejo

Estado afirma que autuou Prefeitura por causa do zoológico

A Secretaria do Meio Ambiente do Estado autuou na quarta-feira (7) a Prefeitura de Araçatuba pela reabertura sem autorização do Zoológico Municipal Dr. Flávio Leite Ribeiro, além de várias irregularidades estruturais e de documentação. A pasta havia informado que aplicaria a punição à administração municipal na terça-feira, o que não ocorreu. O procedimento, segundo nota divulgada por sua assessoria, foi executado pela Polícia Ambiental, que se negou a comentar o assunto.

Apesar de ter sido questionada pela reportagem, a secretaria não informou o horário em que a punição foi aplicada nem quem assinou o auto de infração. Na nota, enviada no início da noite, garantia que o procedimento foi executado. Pelo menos até as 17h30 de ontem, o município continuava afirmando que o Estado não havia feito contato sobre o assunto. Após a confirmação estadual, a reportagem tentou ouvir os secretários municipais de Meio Ambiente e de Comunicação, respectivamente Jorge Hector Rozas e Fernando Verga, além do próprio prefeito Cido Sério (PT), mas nenhum deles atendeu às ligações.

Segundo o texto de nota enviada pela pasta, "o auto de infração ambiental será uma advertência, para que, em prazo determinado, o representante do zoológico compareça à secretaria para firmar um termo de compromisso". O Estado afirma que, em 40 dias a partir da autuação, o município terá que fazer adequações no espaço, sob pena de multa com variação entre R$ 1 mil e R$ 1 milhão, conforme artigo 76 da resolução SMA 32/2010.

IRREGULARIDADES
Entre as irregularidades existentes no zoo estão a falta de documentos, como a autorização de manejo, de grades em alguns recintos, de áreas de cambiamento e de elaboração de protocolo de biosseguridade e plano de fuga de animais atualizado. Existem ainda problemas nas estruturas, como a ausência de um muro de três metros, que deveria circundar a área, no bairro Dona Amélia, e o estado de conservação dos alambrados internos.