Batalha pela frente: Zanatta é o autor do projeto, que já está provocando discussões

Escola Sem Partido não deve ter aceitação fácil na Câmara de Araçatuba

Para alguns vereadores, competência é da União

Esta coluna obteve a informação de que o projeto que pretende implantar o programa Escola Sem Partido na rede de ensino de Araçatuba, que tem como objetivo coibir a doutrinação nas escolas, não terá aceitação tão fácil na Câmara, como teve a propositura que prevê aplicação de multa a servidor que apresentar a crianças e adolescentes material pornográfico e obsceno. Esta última proposta, de autoria do Executivo a pedido do parlamentar Lucas Zanatta (PV), foi aprovada por unanimidade. 
 
O projeto que implanta o programa Escola Sem Partido é de autoria de Zanatta e está tramitando na Câmara. Em conversa com o Periscópio, alguns vereadores disseram que será difícil a propositura ir para votação, pois eles acreditam que ela será considerada inconstitucional, uma vez que, na opinião deles, a matéria é de competência da União. 
 
Alguns disseram que votariam contrário ao projeto, caso ele fosse ao plenário, por não concordarem. Um deles comentou que é inaplicável à rede municipal, que atende crianças de quatro meses a nove anos. Mas, como política não é uma ciência exata, esses posicionamentos podem mudar conforme o tempo. (Ronaldo Ruiz Galdino)

ACESSE AQUI A COLUNA
'PERISCÓPIO'

LINK CURTO: http://folha.fr/1.366235