Empresário é preso em Araçatuba vendendo leite em pó furtado em farmácia

Um empresário de 38 anos, residente no bairro Icaraí, em Araçatuba, foi preso na tarde de quinta-feira (8) por receptação qualificada. Ele é acusado de comercializar latas de leite em pó que foram furtadas do depósito de uma farmácia, no final de janeiro. Na loja dele, no bairro Vilela, a polícia apreendeu 20 latas de um total de aproximadamente 600 que foram furtadas.

 ASSISTA A ENTREVISTA COM O DELEGADO PAULO NATAL: 
Delegado fala sobre prisão de empresário em Araçatuba por receptação

Um empresário de 38 anos, residente no bairro Icaraí, em Araçatuba, foi preso na tarde de quinta-feira (08/02/2018) por receptação qualificada. Ele é acusado de comercializar latas de leite em pó que foram furtadas do depósito de uma farmácia, no final de janeiro. Assista entrevista com o delegado Paulo Natal. Imagens de Lázaro Jr./Folha da Região. Leia mais em http://folha.fr/1.388525.

Publicado por Folha da Regiao em Sexta, 9 de fevereiro de 2018

O furto foi descoberto na manhã de 27 de janeiro, um sábado, quando funcionários foram ao prédio, que fica na rua Floriano Peixoto, próximo à praça Rui Barbosa. Os bandidos levaram cerca de 600 latas de leite em pó Ninho, de 800 gramas cada, e dezenas de pacotes de fraldas infantis e geriátricas.
 
DIG 
O caso estava sendo investigado pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais), que obteve a informação de que o empresário estaria comercializando esse tipo de produto com valor abaixo do mercado.
 
Cada lata de leite dessas é vendida, em média, a R$ 22 no varejo; porém, ele oferecia duas latas por R$ 30. Diante da informação, a polícia representou pelo mandado de busca e apreensão para a Justiça, o qual foi concedido pelo juiz da 3ª Vara Criminal, Emerson Sumariva Júnior.
 
Ao chegarem no estabelecimento, os policiais foram recebidos pelo empresário e iniciaram a vistoria no prédio. Eles encontraram 14 latas de leite Ninho expostas na prateleira e outras seis dentro da caixa, no depósito.

SEM NOTA FISCAL 
O acusado disse que não tinha nota fiscal e, ao conferir o número do lote da mercadoria na nota fiscal da empresa vítima, constatou-se que as latas de leite eram furtadas. O empresário alegou que comprou a mercadoria de uma pessoa desconhecida que passou pelo comércio dele. Também foram realizadas buscas na casa do acusado e nada foi encontrado.
 
Preso em flagrante, ele foi levado para o plantão policial e seria apresentado no Fórum para audiência de custódia. O material apreendido foi devolvido ao proprietário e a polícia seguirá investigando o caso para tentar identificar os autores do furto e encontrar outros possíveis compradores, que poderão responder criminalmente.

RECEPTADORES 
O delegado Paulo Natal explicou que é importante identificar os receptadores, porque o que leva os ladrões a praticarem os furtos é o fato de haver compradores para o que é furtado. "Toda vez que o ladrão furtar e não ter para quem vender, com certeza vai desmotivá-lo a praticar o crime", informou.
 
A pena para a receptação qualificada, que é o crime que o empresário deve responder, pode chegar a oito anos de prisão.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.388525