Drika Marini é empresária do setor de perfumaria em Araçatuba

Drika Marini: Um Natal mais perfumado

Mesmo a passos mais lentos do que gostaríamos, o Brasil dá sinais de que quer (e vai) sair de uma de suas piores crises econômicas. Esta situação afetou cidadãos de todas as classes sociais. Esse momento árduo pelo qual estamos passando terá sinais positivos no Natal deste ano.
 
Pesquisa encomendada pela Associação Comercial de São Paulo, que reflete a opinião das mais de 400 associações espalhadas pelo País, traz dois dados animadores, principalmente, para nós, comerciantes, que vimos as vendas despencarem a partir de 2015 e, desde então, passamos a acumular resultados negativos.
 
O primeiro deles é referente ao percentual de consumidores que vai usar o 13º salário para comprar presentes (ou viajar). De acordo com o levantamento da Associação Comercial de São Paulo, esse índice, que em 2016 era de 5%, passou para 8,6% neste ano. Vale lembrar que a primeira parcela é paga no fim de novembro.
 
A segunda boa notícia é que o número de indecisos – aquelas pessoas que não sabem se vão realizar compras – também caiu. Pouco, é verdade, mas diminuiu. No ano passado, a porcentagem de consumidores indecisos era de 22,5%. A pesquisa da associação indica que, neste ano, haverá redução para 17%. Ou seja, mais pessoas irão gastar no comércio, sinais de que este Natal pode ser, ao menos, de recuperação das vendas.
 
Um dos setores que deve contribuir para esse aumento é o de perfumes e cosméticos. Esses itens aparecem em terceiro lugar na lista de presentes dos brasileiros. Aqui entra uma terceira boa notícia, pelo menos para quem possui loja de perfume importados. 
 
Há algum tempo, o mercado nacional de perfume vem ganhando espaço. Tanto que, na América Latina, o Brasil é quem lidera esse avanço, segundo pesquisa da Euromonitor – empresa global de inteligência estratégica de mercado. Com um “império” de marcas populares, o País responde por mais de US$ 6 bilhões de um total de US$ 10,7 bilhões na América Latina. Dos perfumes luxuosos aos mais econômicos, a categoria registra um crescimento que ultrapassa os grandes centros urbanos.
 
Para recuperar esse nicho, as importadoras passaram a investir em marcas com preços mais acessíveis ao bolso do brasileiro. E sem perder a qualidade. A Euromonitor revelou que o aroma e o preço são fatores determinantes para conquistar os consumidores.
 
Ou seja, além de agradar o olfato, as importadoras estão cabendo no bolso do consumidor. Além de perfumes importados com preço acessível, as marcas passaram a investir nos cofres (kits). Você compra um ótimo perfume, paga menos, e ainda ganha, dependendo da marca, um desodorante, uma loção pós-barba, um creme hidrante, um sabonete líquido etc. Então, há razões de sobra para acreditar que este final de ano será realmente diferente em relação aos últimos dois anos. Para melhor, finalmente. E para você que está lendo, só posso desejar que o seu Natal seja muito mais perfumado.
LINK CURTO: http://folha.fr/1.376380