Prefeito disse que perdeu eleições anteriores, mas nunca fez nada para prejudicar governos

Dilador se irrita com impugnações constantes de licitações

O prefeito de Araçatuba, Dilador Borges (PSDB), está enfurecido com os constantes pedidos de impugnações feitos contra licitações abertas pelo município. Pelo menos quatro procedimentos foram suspensos na atual gestão após representações feitas ao TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo). 
 
O tucano atribui as investidas a um suposto grupo de adversários políticos, que teria montado uma espécie de QG, com pessoal especializado em licitações, para questionar os processos de compras ou contratações de serviços pelo governo tucano. 
 
CLICHÊ
No sábado (30), Dilador falou sobre o assunto em uma rádio local. Usando um clichê político suprapartidário, disse que essas pessoas estão apostando na ideia do “quanto pior, melhor”. 
 
Disse ainda que perdeu eleições anteriores à de 2016, mas nunca fez nada para prejudicar governos. E acrescentou que, por outro lado, está confiante em sua equipe para contornar a situação. 
 
COMO NA GESTÃO ANTERIOR
No entanto, os pedidos de suspensão de licitações não são novidade em Araçatuba. O ex-prefeito Cido Sério (PT), desafeto de Dilador, sofreu com vários questionamentos a processos licitatórios no início e no fim de seu mandato. 
 
No começo de sua gestão, o petista teve até que criar um conselho, com a participação de várias secretarias, para barrar os questionamentos. Já no fim do ano passado, várias licitações de Cido foram suspensas pelo TCE-SP, justamente, após representações de adversários políticos.
 
'FOGO AMIGO'?
Mas nem todos os questionamentos a licitações da atual gestão são feitos por adversários de Dilador. Esta coluna apurou que um pedido de anulação de certame, ingressado na Justiça local, vem de um escritório de advocacia de um ex-aliado do tucano, que colaborou com sua campanha a prefeito, e, até há pouco tempo, mantinha um cargo comissionado no atual governo. (Ronaldo Ruiz Galdino)
ACESSE AQUI A COLUNA
'PERISCÓPIO'
LINK CURTO: http://folha.fr/1.365763