Familiares, policiais e amigos se despedem de André Luís Ferro da Silva

Delegado-geral acompanha enterro de policial assassinado em Araçatuba

"É um dos nossos heróis que se vão", afirmou; VEJA FOTOS E VÍDEO

O delegado-geral da Polícia Civil de São Paulo, Youssef Abou Chahin, acompanhou nesta terça-feira (17) o velório e enterro do policial civil André Luís Ferro da Silva, 37 anos, assassinado durante o assalto à empresa de transporte de valores Protege, de Araçatuba, na madrugada de segunda-feira (16).

 VEJA IMAGENS DO SEPULTAMENTO EM VÍDEO DIVULGADO PELA PM: 

Vídeo divulgado pela Polícia Militar mostra como foi sepultamento, nesta terça-feira (17/10/2017), do policial civil André Luís Ferro da Silva, assassinado por bandidos durante assalto à Protege de Araçatuba, na madrugada de segunda-feira (16/10/2017). Leia sobre o crime em http://folha.fr/1.367978.

Publicado por Folha da Regiao em Terça-feira, 17 de outubro de 2017

 

O corpo foi transportado em um caminhão do Corpo de Bombeiros da capela funerária na avenida Saudade até o cemitério Jardim da Luz, que fica próximo ao aeroporto estadual Dario Guarita. Viaturas da polícia seguiram o cortejo. O caixão foi carregado por policiais do GOE (Grupo de Operações Especiais) da Polícia Civil, ao qual Silva integrava. A Polícia Militar participou da cerimônia fúnebre.

CONVOCADOS
Naquela noite, segundo o delegado da DIG (Delegacia de Investigações Gerais), Marcelo Curi, todos os integrantes do GOE foram convocados pela Delegacia Seccional quando chegou a notícia do assalto. A vítima, quando atendia ao chamado, decidiu passar pelas imediações da Protege e foi ferida com um tiro no peito. O policial chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

Durante o velório, Chahin falou com a imprensa e lamentou a morte de Silva. "É um dos nossos heróis que se vão. A polícia, apesar de sempre criticada, está sempre para proteger a sociedade. Ele tentou fazer algo em uma situação que não dava para fazer nada e nós hoje estamos enterrando um pai de família, um policial, um defensor da sociedade", comentou.

Sobre a investigação do assalto, o delegado-geral comentou que são realizadas perícias, que tem muita coisa a ser feita ainda, mas que tem certeza que o crime será esclarecido. "A polícia hoje trabalha com uma inteligência muito forte e são poucos os casos que escapam. Esse infelizmente escapou da nossa mão", disse, com relação à polícia ter sido surpreendida pela quadrilha.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.368154