De elefante branco a terreno baldio

Área do antigo Hospital Modelo, problema que aparentava ter sido resolvido, não pode voltar

Este editorial começa com um desafio ao araçatubense. O que é pior observar logo na entrada da cidade: um prédio abandonado, podendo servir de esconderijo para criminosos, efeando a cidade; ou um terreno baldio, servindo de ambiente propício para a proliferação de animais peçonhentos e do mosquito transmissor da dengue? 

Esta é uma das tantas reflexões que vêm à tona após anúncio da gestão do prefeito Dilador Borges (PSDB) de não dar continuidade a convênio de 2015, feito pelo então prefeito Cido Sério (PT) com o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), com o objetivo de abrir um estacionamento para servidores públicos municipais na área do antigo Hospital Modelo.

O x da questão não é a movimentação iniciada pela atual administração municipal a fim de rescindir a parceria. Mas, o fato de, passados quatro anos da derrubada daquela construção inóspita na avenida Brasília, a serem completados na próxima quinta-feira, o poder público ainda não ter um projeto concreto para dar vida àquele local.

A notícia de que a Prefeitura pretende abolir o plano até então existente de abrir um estacionamento, sob a argumentação de contenção de gastos, não veio acompanhada da apresentação de uma solução para o caso. Sendo assim, a conclusão mais óbvia é de que, por muito tempo, a população de Araçatuba terá de conviver com aquela região desocupada. Isso, numa época em que campanhas de conscientização patrocinadas pelas administrações públicas mais alertam para os riscos à saúde e ao meio ambiente gerados pelos terrenos baldios.

Por outro lado, é no mínimo questionável a ideia de que o TJ planeja, a curto prazo, construir uma nova sede do Fórum. Primeiro porque a edificação de um novo empreendimento para esse fim depende do repasse de recursos do Estado, cuja liberação é sempre um processo moroso. 

Segundo porque o próprio Dilador já deu andamentos para aliviar a sobrecarga da sede da Justiça local, esta a razão maior do pleito de um novo Fórum. Recentemente, a Prefeitura de Araçatuba firmou convênio com a União para utilizar prédio abandonado também na avenida Brasília para servir de abrigo à Vara da Fazenda Pública e à Procuradoria da Fazenda Municipal.

Em que pesem as divergências políticas entre Cido e Dilador, o estacionamento parecia ser uma saída rápida para evitar mais um abandono de área pública no município. O tucano assumiu a Prefeitura com uma série de desafios e tendo que trabalhar com prioridades devido à baixa arrecadação, mas a área do antigo Hospital Modelo, que aparentava ter sido um problema resolvido, não pode voltar. Isso é retroceder. Portanto, espera-se uma solução imediata.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.366974