Vereador Professor Cládio diz ser vítima de perseguição política e que será absolvido em segunda instância

Condenado por improbidade, Professor Cláudio reclama de perseguição política

Exigia dos assessores parlamentares metade dos salários, segundo decisão

A Justiça de Araçatuba, por meio da Vara da Fazenda Pública, determinou a cassação do mandato do vereador Cláudio Henrique da Silva (PMN), o Professor Cláudio. O motivo é que segundo ação do Ministério Público, em 2004, ou seja, há 14 anos, ele exigia dos próprios assessores parlamentares metade dos salários deles. Conforme o MP, essa prática se estendeu durante o mandato iniciado em 2009.

Com a decisão, que ainda admite recurso, o vereador teve os direitos políticos suspensos e foi proibido de prestar qualquer tipo de serviço ao poder público por dez anos. Também vai ter que pagar uma multa de três vezes o valor que ele se apropriou indevidamente, que seria de R$ 77,6 mil, totalizando R$ 232, mil.

Conforme a decisão da Justiça, os depósitos de parte dos salários dos assessores eram feitos em conta do próprio vereador. Ele ameaçava os funcionários de demissão caso não o pagassem.

Ainda segundo a decisão, o parlamentar passou a exigir desses assessores que fizessem empréstimos consignados na Caixa Econômica Federal e repassassem os valores ao vereador. Um desses empréstimos teria servido para pagar um imóvel. Em quebra de sigilo bancário, o MP apurou que havia mais dinheiro nas contas do vereador do que declarado à Receita Federal.

A Folha tentou falar com o vereador ontem à noite, mas ele não atendeu as ligações. Por WhatsApp, o parlamentar afirmou que não fez nada de errado e que os advogados dele vão recorrer. "Serei absolvido em segunda instância. É perseguição política", concluiu.

Leia esta notícia na íntegra em nossa edição digital para assinantes
LINK CURTO: http://folha.fr/1.404083