Expectativa de Dilador é liberar o trânsito antes do prazo

Começam as obras na ponte da Água Limpa

Problema foi causado pelas chuvas do mês de janeiro: tubulações de concreto sob a rodovia não aguentaram a pressão da água e cederam

Começaram ontem (14) as obras de recuperação da ponte do bairro rural Água Limpa, em Araçatuba, rompida no dia 9 de janeiro. A ponte fica na estrada municipal ART 040 Vincenzo Manarelli e a empresa contratada é a Copel Construções, Indústria e Comércio Ltda., com sede na cidade. O investimento é de R$ 288.082,45, com prazo de 60 dias para conclusão, mas a expectativa da prefeitura é liberar parcialmente o trânsito em menos tempo.

De acordo com o secretário de Obras e Serviços Públicos, Constantino Vourlis, por se tratar de uma APP (Área de Preservação Permanente), a obra não poderia ser iniciada antes da concessão de licenciamento ambiental por parte da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) e outorga do Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica). O trecho recuperado passará a ter uma galeria celular de 4 metros por 4 metros e não mais as três de 1,5 por 2 metros, como anteriormente. A substituição da tubulação no local afetado fornecerá uma vazão de 16 metros quadrados, aumentada em mais de 70%.
 

CHUVAS
O problema foi causado pelas chuvas no mês de janeiro, quando as tubulações de concreto sob a rodovia não aguentaram a pressão da água e cederam. Parte do barranco também foi levada. Por causa disso, os moradores ficaram isolados no bairro.

Desde então, a opção para quem precisa sair ou chegar ao bairro é usar desvios: um deles que aumenta em 20 quilômetros o percurso e outro por uma estrada de terra. O problema tem gerado prejuízos aos produtores rurais, que precisam escoar o que é plantado no bairro rural. "Ali tem grande fluxo de produtores rurais, que precisam escoar suas produções. Estamos com tempo firme e acredito que a obra não passará por contratempos. Espero poder liberar para os moradores em 40 dias", afirma o secretário.

Em 2016, os moradores na Água Limpa também ficaram isolados, mas por causa de outra ponte, a da estrada vicinal Nametala Rezek, continuação da avenida da Saudade. O problema durou quase um ano, até que a ponte fosse reconstruída e liberada. Os agricultores tinham que fazer um desvio de aproximadamente 15 quilômetros pela rodovia Elyeser Montenegro Magalhães (SP- 463), que também estava em obras, o que causava mais transtorno.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.404530