Juarez Paes é chefe de cozinha em Araçatuba

Coluna Gastronomia: 'Mas, este ano, meu bem, tá combinado...'

Veja como fazer mandioca com costelinha defumada

Aproveitando a deixa da “Folia de Momo” que se aproxima, este acima é parte de um verso de uma antiga marchinha de carnaval, repetido várias vezes nos bailes dos antigos carnavais de clubes e rua (blocos), que acredito ainda habitar o subconsciente de muita gente que viveu aqueles tempos, quando tínhamos como objetivo apenas brincar, se divertir, extravasar a alegria, namorar e curtir os festejos em ritmo de paz, sem brigas e lindando com muito humor qualquer manifestação de violência, remetendo o desvio de volta ao clima de alegria e folia.
 
Para aqueles que nunca tiveram a oportunidade de ouvir esta marchinha, vai aí os primeiros versos que diziam o seguinte: -"Este ano não vai ser igual àquele que passou...". Segue então, contando a história de um casal que se desentendeu no carnaval passado e não teve mais clima para brincar naquele ano, mas, que no ano seguinte, apesar do ocorrido anteriormente, permaneceram juntos, porém, decidiram brincar o Carnaval separados.
 
Como no Brasil costuma se dizer que o ano só começa as 12:01 min. da quarta-feira de cinzas, vale utilizar o verso citado acima para dar uma reacionada nas expectativas para o ano que ali recomeça, retomando a promessa de fazer quase tudo novo e principalmente, não cometer os mesmos erros, nem tão pouco dar mais do que pode de si em prol daqueles que não fazem jus a tal sacrifício.
 
Funciona também como um botão de "start" para dar início a tudo que deixamos de fazer como: perder peso, malhar, voltar a estudar, a pós-graduação, sair do aluguel, reformar ou fazer consertos em casa, levar o cachorro para vacinar e passear, dar mais atenção ao companheiro (a), mãe, pai e filhos, enfim, regularizar todas as pendências que vêm se acumulando ano após ano.
 
No meu caso, entre tantas prioridades que já estipulei, tem uma, de pouca importância no compito geral, é mais um anseio ou desejo que consiste em ser mais vezes convidado para comer a comida alheia e menos para executar receitas e apresentar novas criações, pelo que manterei para toda a vida o maior prazer do mundo em preparar pratos maravilhosos para meus amigos, minha mãe, filhos e esposa, esta última, detentora de um jeitinho todo especial de me convencer quando tem vontade de comer seus pratos prediletos, mas, o fato é que adoro degustar pratos preparados por outras pessoas, tempero diferente, produzido por outras mãos que não as minhas, com o sentimento colocado por outrem no preparo, mesmo que seja um simples arroz com feijão e salada.
 
Sei que o fato de eu ser um culinarista inibe muitas vezes quem se propõe a preparar algo quando estou por perto, fica sempre no ar aquele receio de eu estar observando a maneira que está sendo executada a receita e fazendo alguma espécie de julgamento, quando na verdade nunca me dou conta disso, e espero sim, ansiosamente, pela hora de degustar.
 
Então amigos, conhecidos, ente queridos, inimigos, desafetos e leitores, em 2018 me ajudem a atender meus anseios, juro que fico na sala aguardando calmamente a convocação para me dirigir ao local onde será servida a "boia", me convidem para degustar seus preparos, simples ou sofisticados, não importa, estarei de braços, ou melhor, de boca aberta e todos os sentidos para provar a sua comidinha! BJu!
 

Mandioca com costelinha defumada

 
Você vai precisar de: -700 g de mandioca em cubos grandes; -700 g de costelinha de porco defumada em pedaços médios; -1 xícara de chá de cebolinha picada; -1 colher de sopa de folhas de manjerona; -3 dentes de alho grandes amassados; -1 cebola média picada; -2 tomates meio maduros em cubos; ½ pimentão verde picado; -p. calabresa qb; -1 xícara de chá de molho de tomate refogado fresco ou pronto; -1 colher de sopa de manteiga; -3 colheres de sopa de azeite.
 
Preparo: Em uma panela média, ferva a costelinha por 15 minutos, reserve 2 xícaras desta água, passe costelinha para um escorredor e deixe por lá, enquanto em uma panela grande antiaderente, aqueça a manteiga com o azeite, doure a cebola, em seguida o alho, junte o tomate, o pimentão metade da cebolinha, a manjerona, p. calabresa, refogue por 5 minutos sempre mexendo, acrescente a costelinha, abaixe o fogo e vá mexendo por 10 minutos para não grudar, se necessários, vá pingando água, junte o molho de tomate, mexa por mais 15 minutos, coloque 1 ½ litro de água, junte a mandioca, complete a água para cobrir, quando levantar fervura, abaixe o fogo, tampe, deixe cozinhar por 30 minutos, apague o fogo, junte a cebolinha e sirva.
ACESSE AQUI A COLUNA
'GASTRONOMIA'
LINK CURTO: http://folha.fr/1.387953