Juarez Paes é chefe de cozinha em Araçatuba

Coluna Gastronomia: A comida dos craques

Aprenda a fazer uma canjica mineira

É indiscutível hoje, para a maioria dos amantes do futebol praticado por artistas e gênios da bola, que os três melhores jogadores em atividade no futebol mundial são Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo, claro, não necessariamente nesta ordem, afinal, deixando o bairrismo de lado é muito difícil cravar quem é o melhor entre eles, se a cada apresentação um termina por criar uma obra de arte ou nos brinda com show de gala e vasto repertório de jogadas geniais.

Semana retrasada, Neymar só faltou fazer chover em Paris pelo Campeonato Francês. No mesmo final de semana, pela rodada do Espanhol, CR7 abriu a caixa de ferramentas em pleno Santiago Bernabeu e, na última quarta-feira, Lionel Messi colocou a Argentina na Copa da Rússia com três gols, sendo o segundo e o terceiro verdadeiras obras-primas, além de outras oportunidades oriundas de seus pés que terminaram desperdiçadas pelos seus companheiros, um tanto aquém da sua genialidade.

Como bom amante e praticante do futebol, enquanto Chef de cozinha, me veio a seguinte questão à mente: tanta fome de bola, futebol de altíssimo nível e muito dinheiro poderiam ser um indicativo de que também seriam ótimos Gourmands, com bastante apetite, e preferência pela altíssima gastronomia nos melhores restaurantes que o dinheiro possa pagar?

E o que fiz então? Fui atrás da resposta para minha questão! 

Comecei pelo atual eleito melhor do mundo, Cristiano Ronaldo, seu prato predileto, fechando com o "Top 5" das suas preferências gastronômicas do gajo, com uma ajudinha do Chef de cozinha da Seleção Portuguesa Hélio Loureiro, que entregou de cara o Top 1: Bacalhau à Brás, desfiado com batata palha e envolto com ovos e cebola; -Top 2: Espetada Madeirense, espeto de carne bovina; -Top 3: -Qualquer tipo de risoto; -Top 4: Polenta frita; -Top 5: Sopas em geral.

Messi foi mais além, ao montar o próprio restaurante em Barcelona. Abriu, em meados de 2016, um restaurante em Bellavista del Jardín del Norte. Um projeto moderníssimo. O seu interior remete ao bairro onde o astro viveu em Rosario. A parte onde são servidos almoço e jantar lembra uma pracinha com aqueles bancos bem característicos, além de uma igreja com sino e tudo. O barzinho de petiscos é um típico cantinho para boleiros, com mesas verdes como o gramado dos campos de futebol e como pano de fundo uma parede com camisas do próprio Messi e dos amigos Suárez e Neymar autografadas pelo trio MSN.

Seu prato preferido é Bife à Milanesa, com batatas fritas em cubos, ovos cozidos e tomates ao pesto. Já o nosso craque Neymar Jr., apesar de toda a pompa que o cerca, é o mais simples de todos e ele mesmo respondeu a esta pergunta quando questionado sobre o que mais gosta de fazer na vida depois do futebol: “Comer! Minha comida preferida é arroz, feijão, bife, batata frita e ovo”. Cravou com a preferência nacional, provando que comida simples também produz grandes jogadores de futebol, craques e gênios da bola!


Canjica mineira

Você vai precisar de: -300g de carne seca dessalgada; -2,5 xícaras de chá de canjiquinha (1h de molho); -3,5L de água; -500g de costelinha de porco fresca; -500g de costelinha defumada; -300g de linguiça suína fina em rodelas; -2 colheres de sopa de banha de porco ou óleo de milho; -1 cebola grande picada; -3 dentes de alho picadinhos; -sal e p. calabresa qb; 1 xícara de chá de cheiro verde picado.

Preparo: Numa panela de pressão, cozinhe a carne seca por 25 minutos, retire, deixe esfriar e corte em cubos pequenos ou desfie grosseiramente e reserve. Ponha a canjiquinha de molho na água por 1 hora, escorra e reserve. Corte as costelinhas em pedaços médios e reserve. 

Em uma panela grande antiaderente, aqueça a banha e doure as costelinhas, junte a linguiça e refogue bem, em seguida a carne seca, a cebola, o alho e mexa até que tudo esteja bem refogado, só então coloque a canjiquinha misturando bem, vá acrescentando água aos poucos, até que todos os ingredientes estejam cobertos, aqueça o restante da água e vá acrescentando até o completo cozimento da canjiquinha (se tiver com muita pressa leve a canjiquinha a panela de pressão), ajuste o sal e a pimenta, espalhe o cheiro verde, decore com algumas fatias de pimentão e sirva.

ACESSE AQUI A COLUNA
'GASTRONOMIA'

LINK CURTO: http://folha.fr/1.368118