Padre Charles Borg é vigário-geral da Diocese de Araçatuba

Charles Borg: A batalha

Poder absoluto enfeitiça a cobiça humana. Seguindo a leitura que a Bíblia faz da história humana, a ambição de querer se igualar a Deus está na origem da perversão da raça humana. Por causa da arrogância o Homem perdeu o paraíso e perdeu também a inocência. 

Desde tempos imemoráveis a história parece confirmar a leitura bíblica, pois registra as constantes tentativas de figurões que, ao almejar o poder absoluto, destruíram vidas e culturas. Na A história universal esta recheada dessas tentativas. A traficância, infelizmente, é sempre possível. Laços de amizade são aproveitados para interferir no exercício de instâncias diferentes ou causar constrangimento à independentes atuações. 

Estadistas não se produzem. Nascem! E vão se polindo e podando a medida que abracem e sigam valores inegociáveis. Assumindo como valor primeiro e insubstituível, o bem comum. Ou para repetir a expressão da moda, valores republicanos. O exemplo que as mais recentes lideranças estão dando nada tem a ver com decência e abnegação em favor do bem comum. Pelo contrário, por conta de um apego obstinado ao poder manipulam-se regimentos, fazem-se nomeações oportunistas, elaboram-se jurisprudências desconcertantes. A lastimável disputa de apegos e o triste desfile de vaidades não somente envergonham, mas, o que é pior, atolam mais o país.

Legítimas lideranças não negociam mandatos. Agem geralmente com abnegação. Não se deixam contaminar por vaidades. Mandela amargou 26 anos de cadeia, mas recusava fazer arranjos. Gandi se impunha longas jornadas de jejum, mas não negociava princípios. Até porque nada tinham a esconder. Nem deviam favores. 

Que triste desfile de indigência de caráter exibem nossas mais recentes lideranças. Que exemplo distante da conduta da maioria da população que tem prazer em chegar no horário ao trabalho, que se esforça a pagar suas contas. Que se empenha em educar os filhos na honestidade e se desdobra na vigilância para que tenham corretas condutas! São justamente esses preciosos valores que não se pode perder, que não se pode deixar contaminar pelo nefasto exemplo do povo que frequenta 'o andar de cima'. É preciso vacinar-se contra esses maus exemplos. A sociedade não pode resignar-se nem perder a esperança.

Pais e educadores não podem sentir-se desmoralizados pelos péssimos exemplos que vem de certa gente pública. Muito menos sentirem-se desconfortáveis por ensinarem a importância da integridade, o valor da decência, a nobreza da honestidade. Essa batalha o Brasil não pode perder! Essa batalha o Brasil não vai perder!

LINK CURTO: http://tinyurl.com/y8v2fkmt

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook