Cerca de 20 pessoas trabalham noite e dia na confecção das roupas, adereços e carros alegóricos

Carnaval: bruxas e sacis se encontram na 'Unidos da Zona Leste'

Saindo da linha das homenagens, a escola de samba Unidos da Zona Leste neste ano tenta seu tetracampeonato com o tema "Crendices e Superstições". Seres encantados e itens que envolvem a crença de diversos povos poderão ser vistos durante o desfile da agremiação, que será a segunda a pisar na passarela do Recinto Clibas de Almeida Prado, nos dias 2 e 3 de março. Depois de quatro carnavais consecutivos defendendo enredos que fizeram menção a pessoas e instituições, o presidente Jacques Pétia optou por um tema mais abrangente.

Em 2009, homenagearam Zumbi dos Palmares - levando o primeiro lugar; em 2010, conquistaram o título pela segunda vez, falando sobre a caridosa Benedita Fernandes; em 2012, abordaram o Rotary Clube, saindo da passarela tricampeã; e no ano passado, o enredo falou sobre a vida e a obra do compositor e sanfoneiro Luiz Gonzaga. A mudança de linha, segundo Pétia, oferece mais liberdade para a criação. "Quando você faz uma homenagem, precisa ficar bastante restrito à história da pessoa ou instituição. Escolhemos um tema que pode ser mais abrangente. Neste ano, vamos falar sobre algo de cunho popular, sobre coisas que mexem com a imaginação das pessoas", explica.

A intenção é que desfilem de 250 a 300 pessoas, não só de Araçatuba, mas também de cidades como Lins, Sagres, Osvaldo Cruz e Penápolis. São, ao todo, dez alas. A comissão de frente levará bruxas inspiradas nas mulheres condenadas pela inquisição. Os cerca de 60 integrantes que compõem a bateria desfilarão com trajes que remetem a magos. As roupas e adereços das baianas foram inspirados nas fadas; as crianças representarão os pajés, com trajes indígenas; e haverá ainda as alas dos gatos pretos, dos lobisomens, dos sonhos, das benzedeiras, dos mitos noturnos e dos ciganos. Também haverá dois casais de mestre-sala e porta-bandeira, sendo um deles mirim.

TRABALHO DURO
Cerca de 20 pessoas trabalham noite e dia na confecção das roupas, adereços e carros alegóricos, tanto no barracão, na rua dos Fundadores, quanto no recinto. Duas delas são da capital paulista: o carnavalesco Rodrigo Ferraz, que trabalha na Unidos da Zona Leste pela primeira vez, e o escultor Luiz Kouti, que já passou pela escola no ano passado.