Líder do prefeito na Câmara, Alceu garante que não se trata de formação deliberada

Câmara de Araçatuba tem a menor ala 'rebelde' em 12 anos

Dos atuais 15 vereadores, apenas um se diz 'independente'

Foi em tom de ironia que o vereador Arlindo Araújo (PPS) saudou, na última terça-feira (18), em sua página no Facebook, o prefeito Dilador Borges (PSDB) por ter sido o governante local a formar, em pouco tempo de mandato, a maior base de apoio no Legislativo. 

Uma questão, no entanto, é certa. Pelo menos dentre os últimos quatro prefeitos, incluindo ele próprio, Dilador é o que enfrenta a menor oposição na Câmara. Dos atuais 15 parlamentares, Arlindo, que, por ironia, veste a camisa do PPS da vice-prefeita Edna Flor, é o único opositor, ou, “independente”, como gosta de se classificar.

Historicamente, a conquista da maioria nos parlamentos se dá pelo “espaço” a aliados no governo, que, na prática, são os cargos comissionados. Dilador, por sua vez, nega que tenha se valido desse expediente, apesar de, no quadro de ocupantes de cargos de confiança da Prefeitura, aparecerem correligionários de partidos que o apoiaram na eleição municipal do ano passado. 

CONFIANÇA
Escolhido como líder do prefeito na Câmara em janeiro deste ano, o vereador Alceu Batista (PV), que está em seu primeiro mandato, disse, na época, que teria uma tarefa fácil, pois tem confiança de que o tucano não vai propor “defender o indefensável”. Na quarta-feira (19), quando foi questionado sobre de que forma conseguiu unir os parlamentares a favor de Dilador, Batista respondeu que não se trata de formação deliberada. 

“Muito pelo contrário, pois, se o prefeito está tendo aprovação da maioria, só mostra maturidade dos mesmos que são favoráveis quando devem ser e contra quando necessário for, e sempre em favor da população”, disse, ao analisar que existe isenção de cada vereador quanto às matérias a serem discutidas.