No caminho, Silva decidiu passar pelo local para fazer uma checagem, quando foi atingido

Ataque à Protege: policial seguia para delegacia quando foi morto

Delegado havia convocado GOE por causa do assalto

O policial civil André Luís Ferro da Silva, 37 anos, morto com um tiro no peito durante assalto à empresa de transporte de valores Protege, no bairro Santana, em Araçatuba, na madrugada desta segunda-feira (16), seguia para a Delegacia Seccional quando foi atingido.

Em entrevista coletiva concedida durante a tarde, o delegado de polícia Marcelo Curi informou que, assim que começaram a ser ouvidos os tiros disparados pelos bandidos e as explosões, ele mesmo convocou os policiais do GOE (Grupo de Operações Especiais) a comparecerem à delegacia.

EM SERVIÇO
Silva, que pertence ao GOE, saiu de casa com o carro dele para atender o chamado da delegacia. "Ele estava em serviço, mesmo porque estamos em serviço 24 horas por dia e temos que agir em relação a algum crime", afirmou Curi. "Assim que tivermos a informação de tudo o que estava acontecendo, que foi tudo muito rápido, eu fiz a convocação pelo grupo do Whatsapp do GOE, ao qual ele pertence. Todos os policiais vinham para atuar nessa ocorrência. Ele estava vindo e no caminho decidiu passar pelo local para fazer uma checagem. Só que não contava que os assaltantes tinham equipes em vários pontos para esperar a polícia e ele foi surpreendido a três quadras do local, infelizmente", informou.

Segundo o delegado, a vítima estava na polícia Civil havia pouco mais de três anos. Antes, Silva passou pela Polícia Militar, segundo o CPI-10 (Comando de Policiamento do Interior) de Araçatuba. Casado, ele deixou duas filhas menores. O enterro está previsto para a manhã desta terça-feira (17).

LINK CURTO: http://folha.fr/1.367978

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook