Fábio Brancato (esq.), 48 anos, é engenheiro agrônomo e produtor rural; na foto, com Marco Viol

Associados do Siran elegem novo presidente para o biênio 2018-2019

Nova diretoria manterá modelo de gestão não centralizada

O engenheiro agrônomo e produtor rural Fábio Brancato, 48 anos, será o presidente do Siran (Sindicato Rural da Alta Noroeste) a partir de 2018. Com candidatura em chapa única, ele foi eleito na segunda-feira (27) para o cargo ocupado pelo também engenheiro agrônomo e produtor rural, Marco Antonio Viol desde 2014. 

Segundo Brancato, o principal objeto é dar continuidade ao perfil da administração atual, com uma atuação pautada no envolvimento de todos os diretores da entidade e não centralizada apenas na figura do presidente. "Vamos dar ênfase ao grupo unido. Continuamos com a diretoria participativa, o mesmo tipo de gestão, a mesma filosofia de trabalho e o mesmo espírito em desenvolver e melhorar o agronegócio de Araçatuba e região", disse Brancato.

Os associados do sindicato elegeram também 16 diretores na mesma votação. 
Nascido em Santos, Brancato mora em Araçatuba desde 1978 e, além de trabalhar com pecuária e plantação de eucalipto, ele é proprietário de uma consultoria em agronegócio. Ele vai liderar no biênio 2018-2019 a entidade que atualmente conta com 480 associados. 

PERSPECTIVAS
As perspectivas do novo presidente incluem um trabalho com uma agricultura com produtividade crescente apoiada na tecnologia, principalmente nos segmentos de pecuária, grãos e cana-de-açúcar, além da realização de parceria que trará mais eventos nacionais de agronegócio para a cidade. 

De acordo com Brancato, o Siran firmou uma parceria com a ABQM (Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha), já 90% encaminhada, para transferir para Araçatuba três eventos anuais com foco na raça de cavalos. Ele destaca que um dos resultados da implementação seria uma movimentação da economia local, alcançando principalmente hotéis, restaurantes, comércio e postos de gasolina. A expectativa é de estruturar os eventos em 2018, para iniciá-los em 2019. 

A parceria seria de longo prazo, para um período de 10 a 15 anos. Segundo o Siran, a perspectiva é de que com a concretização da parceria, a ABQM ocupe uma área de mais de 20 alqueires no Recinto de Exposições Clibas de Almeida Prado, com a previsão de investimento de R$ 7 milhões. Atualmente os eventos da associação acontecem em Avaré. 

"Deixamos claro que não estamos tirando os eventos de Avaré. Fomos procurados pela ABQM que precisa de outra sede por questões de logística e infraestrutura", diz o presidente eleito. Araçatuba é núcleo de um raio de 600 quilômetros que abrange mais de 90% dos associados da ABQM. 

DIVULGAÇÃO
Brancato também pretende ampliar a divulgação do trabalho do Siran para a comunidade. Atualmente, o sindicato promove em média 240 cursos por ano, voltados principalmente para o pequeno e médio produtor. As capacitações são frutos de parceria com a Faesp (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo), o Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e as prefeituras dos municípios da região. "Consequentemente, com mais acesso a essa informação, vamos atrair mais associados." 

Brancato esclarece que há uma expectativa de aumento na produção regional, motivada principalmente com a implementação de tecnologia na pecuária e da agricultura de precisão. A perspectiva é de elevação da produtividade na criação de gado bovino e nas culturas de grãos e cana, ocupando área menor. "Esse movimento vai ser muito bom para o sindicato e para os associados. Nós temos condições de ampliar isso e auxiliar o produtor com nossos cursos e qualificações", afirma. 


Parcerias e participação ativa de toda diretoria são marcas

Presidente do Siran nos biênios 2014-2015 e 2016-2017, Marco Antonio Viol descreve sua gestão como marcada por parcerias e pela participação ativa de toda a diretoria. "Até então, o sindicato deve uma administração muito mais presidencial. Nós tentamos fazer uma gestão mais participativa, o que torna o sindicato mais democrático", disse Viol. 

Segundo ele, os diretores foram consultados nas decisões dos dois mandatos, o que levou a uma divisão das responsabilidades e dos sucessos. Viol conta que o sindicato também voltou a atenção tanto para pecuária quanto para a agricultura. Além disso, a entidade buscou dar apoio a pequenos e médios produtores rurais. "Enxergamos que esse é o caminho. O desenvolvimento passa pelas pequenas empresas e pequenos negócios." 

Para isso, o sindicato solidificou uma parceria maior com a Faesp e atraiu cursos do Senar para a região. Atualmente, a área de abrangência do sindicato é que a concentra o maior número de capacitações do Senar no Estado. Entre as iniciativas estão o curso Jovem Agricultor do Futuro, promovido em Guararapes, Piacatu e Nova Luzitânia, além da Feira do Produtor Rural, realizada em Birigui e Araçatuba. 

O sindicato também buscou uma aproximação com a criação de gado bovino das raças nelore, senepol e brahman. "Buscamos uma integração maior com essas raças para que elas voltassem a ter uma participação maior na nossa Exposição."

Viol relembra que o cenário da agropecuária regional paralelo aos quatro anos de sua gestão incluiu a transferência da Cobrac (Cooperativa Agropecuária do Brasil Central) para a Coopercitrus (Cooperativa de Produtores Rurais), o que deve fortalecer a produção de grãos, que já estava em ascensão na região. Segundo ele, o agronegócio local passa por uma diversificação. "Eu vejo isso como fundamental para o desenvolvimento. Monocultura não é bom." 

PRECISÃO
A introdução da agricultura de precisão no campo da região e aumento da tecnologia na criação de gado bovino também marcaram os últimos anos, conforme Viol. Ele destaca que no caso da pecuária, a produção atualmente trabalha com um aproveitamento por área maior. 

"Em 1960, nós tínhamos 1,5 milhão de hectares de pastagens e 1,3 milhão de cabeças de gado. Hoje temos 640 mil hectares e 1,16 milhão de cabeças de gado. Ou seja, uma diminuição de 50% da área, com quase a mesma quantidade de animais. Isso é tecnologia." 

Viol conta que permanecerá na diretoria da entidade. 

LINK CURTO: http://folha.fr/1.376154