Área onde empresa pretende implantar centro de tratamento de resíduos sólidos domiciliares na cidade

Araçatuba: audiência vai discutir novo aterro sanitário

O Consema (Conselho Estadual do Meio Ambiente) convocou audiência pública para tratar da proposta de implantação do CGR (Centro de Gerenciamento de Resíduos) em Araçatuba. Se o projeto for concretizado, o município irá receber resíduos domiciliares, da saúde e da construção civil de toda a região de governo de Araçatuba, composta por 31 cidades. O encontro está marcado para o dia 27 de novembro, às 17h, no Vívere Eventi.

A audiência pública irá abordar o EIA/Rima (Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto ao Meio Ambiente) do empreendimento, previsto para ser construído numa propriedade privada com 73,6 hectares, na estrada vicinal Arlindo Casassola (ART 270), bairro rural da Prata, a 16 quilômetros do centro urbano de Araçatuba. O projeto é do CGR Guatapará, empresa ligada ao grupo Estre, da região de Ribeirão Preto. A proposta de implantação do CGR Araçatuba integra três unidades distintas, instaladas na mesma área, voltadas ao tratamento e destinação final dos resíduos sólidos gerados em Araçatuba e região de entorno.

Pelo estudo disponibilizado pelo CGR Guatapará, o aterro sanitário terá capacidade de receber mil toneladas ao dia de lixo domiciliar e industrial não perigoso, com vida útil de 20 anos. Já a unidade de beneficiamento de resíduos da construção civil tem capacidade para receber 500 toneladas/dia. Por fim, a unidade de tratamento para resíduos de serviço da saúde tem capacidade para tratamento de dez toneladas diárias.