Batata propõe que empresas terão um ano para providenciar novo local

Após novo assalto à Protege, vereador não quer transportadora de valores na zona urbana de Araçatuba

Município tem dois empreendimentos do tipo

No mesmo dia em que Araçatuba sofreu o maior assalto de sua história, o vereador Gilberto Mantovani, o Batata (PR), protocolou projeto de lei que pretende proibir a instalação de empresa de transporte de valores no perímetro urbano do município, como é o caso da Protege, localizada no bairro Santana, que foi alvo de uma quadrilha fortemente armada na madrugada da última segunda-feira (16). 

Segundo a propositura, as empresas do ramo só poderão ter sede em áreas rurais e em locais onde não existam colônias agrícolas, condomínios rurais ou áreas com adensamento populacional. Caso a proposta seja aprovada, as firmas que já estiverem no perímetro urbano terão prazo de um ano para providenciarem novo local, dentro do que a lei estabelece, para exercerem suas atividades.

Se os parlamentares acatarem a regra e ela for sancionada pelo prefeito Dilador Borges (PSDB), a norma entrará em vigor 120 dias após sua publicação. Caberá ao Executivo regulamentá-la. A Prefeitura informou que o município tem duas empresas de transporte de valores com sede no perímetro urbano, mas não divulgou seus nomes.