Segundo a Vigilância Epidemiológica, o combate ao escorpião deve ser permanente

Após atingir pico em outubro, acidentes com escorpiões diminuem em Araçatuba

Após registrar média de três casos por dia em outubro do ano passado, os acidentes com escorpiões tiveram queda nos últimos meses de 2017 em Araçatuba. Em dezembro, por exemplo, foram registrados 41 casos. E a tendência de queda continua no início de 2018, com 34 casos registrados até o último dia 2, segundo dados da Vigilância Epidemiológica do município.

De acordo com o órgão, em 2017 foram registrados 502 casos de acidentes com escorpiões em Araçatuba, média de 41,8 casos por dia. Se nos primeiro seis meses do ano a média foi de 28,3 por mês, no segundo semestre ela saltou para 55,3 ocorrências mensais.

Uma das justificativas para esse aumento de notificações foi a morte de uma menina de 4 anos, ocorrida em 16 de setembro, um dia após ela ser picada por um escorpião quando caminhava pela rua dos Fundadores, após sair da igreja. A vítima foi encaminhada ao pronto-socorro do bairro Santana, e devido à gravidade do caso, foi transferida para a Santa Casa, onde morreu.

Um dia antes, um menino de 2 anos morreu após passar mal na Emeb Maria Helena de Freitas Carli, no bairro Vista Verde. Na ocasião, a Prefeitura emitiu nota informando que a causa da morte seria divulgada somente após resultado do exame necroscópico. Entretanto, a criança não tinha passado pelo IML (Instituto Médico Legal). Somente depois que a família procurou a polícia, na tarde seguinte à morte, é que foi determinada a retirada do corpo do velório para realização do exame necroscópico.

PNEUMONIA
Apesar de não ter o resultado desse exame, no início da semana seguinte a Secretaria Municipal de Saúde e a Santa Casa afirmaram que o menino tinha morrido em consequência de picada de escorpião. 

Porém, na última semana, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) do Estado informou que o laudo do exame necroscópico apontou pneumonia como causa da morte da criança. A Prefeitura informa que não se manifestará sobre o resultado do exame porque ainda não foi comunicada oficialmente.

CUIDADOS
Após a divulgação desses dois casos ocorridos em setembro, a administração municipal lançou a campanha "Escorpião? Aqui Não!" e intensificou a limpeza de escolas públicas e terrenos para evitar a proliferação dos escorpiões.

Segundo a Vigilância Epidemiológica, o combate ao escorpião deve ser permanente e os acidentes são consequência da expansão urbana e do depósito de entulhos em lugares inadequados, que contribuem para a proliferação do escorpião.

O órgão informa que a população deve manter-se sempre atenta, pois as notificações feitas comprovam que há acidentes com o aracnídeo em todo período do ano.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.388099