Antenor Rosalino é membro da Academia Araçatubense de Letras

Antenor Rosalino: Diversidade poética

Tendo voltado o meu pensar às diversas fases literárias vivenciadas pela humanidade, principalmente no que diz respeito à poesia, detive-me na comprovação de que os poetas não só enfeitam o mundo utilizando abstratismos, fazendo com que sonhos estelares e paradisíacos encantem nossos olhos como uma realidade presente, mas também, são criadores de formas e estilos poéticos.

Há longos anos, venho acompanhando e, por vezes, interagindo com poetas renomados ou não, em sites destinados a pessoas afins e fico encantado com o destino que os mesmos dão aos vocábulos. Os poetas brincam com as palavras a ponto de sua lide imaginativa buscar várias combinações de rimas nas estrofes.

Esse processo criativo torna-se ainda mais admirável quando procuram usar a mesma métrica e, às vezes, fazem versos sem utilizar determinada letra do alfabeto. Há ainda aqueles que preferem não colocar pontuação alguma em suas poesias...

Outro exemplo: ao ter a honrosa oportunidade de fazer alguns duetos com a exímia poetisa e escritora Luiza De Marillac Bessa Luna Michel, isso fez com que eu notasse maiores características de sua forma de escrever. Essa poetisa escreve o início de todas as palavras de suas poesias com letras maiúsculas e assim, a exuberância lírica do seu versejar ganha destaque e maior brilho com essa inventividade poética. Tais devaneios e capacidade linguística desses seres iluminados que são os poetas e poetisas os tornam eternos aprendizes dos vocábulos.

Particularmente, admiro muito isso, talvez pelo fato de ter sido influenciado pelos maravilhosos escritos do Parnasianismo. Essa é a época que mais gosto no campo da poesia, pois os poetas de então buscavam formas encantadoras de abstratismos e metáforas com ênfase para os sonetos tão bem rimados e metrificados.

Os parnasianos, liderados, no Brasil, pela admirável tríade dos imortais poetas Olavo Bilac, Raimundo Corrêa e Alberto de Oliveira, tinham como lema: "a arte pela arte", e encantavam o mundo por primarem pelo perfeccionismo.

Embora eu tenha elaborado alguns poemas metrificados, não é sempre que os faço, mas a minha atenção foi despertada desde muito cedo pela beleza das formas, o rigor às métricas e à estética que prevalecem, com destaque em temas clássicos, muitos dos quais, ligados à mitologia, cujo processo criativo era a tônica dos poetas parnasianos. 

Outro detalhe curioso é que cada poeta, embora tenha sido influenciado por algum outro poeta ou estilo poético, tem a sua característica própria o seu modo pessoal de debruçar em seus devaneios e passar para o papel aquilo que vê e sente.

Assim, o fascinante mundo da poesia com seus variáveis estilos perpetua pelos tempos nos corações sensíveis, fazendo a imaginação voar em eldorado de sonhos como um escudo invisível contra os artifícios do mal, tanto na acalentura do sol quanto no magneto do plenilúnio sob o céu azul estrelado.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.383558