Ana de Almeida Zaher, de Araçatuba, é Associada da UBE (União Brasileira de Escritores)

Ana Almeida Zaher: Uma carta para Deus

Entre risos e lágrimas estou seguindo minha caminhada, sei que hora ou outra a estrada há de cessar. Porém, a única certeza é que o fim chegará a qualquer momento. Uma data e hora marcada já existem no livro da vida, mas graças à sabedoria divina, é um livro inacessível aos humanos. Seres, que mesmo sabendo que não são eternos, faz muito uso do egoísmo e da maldade.

Em meio às tempestades fico tentando manter um olhar terno, um coração esperançoso. E eu creio que ainda há esperança, principalmente quando vejo nos olhos das crianças uma pureza nata e uma força de vontade, que as fazem vencer alguns obstáculos, provações que surgem na vida delas que muitos adultos não suportariam uma noite... No entanto, anjos guerreiros lutam pela sobrevivência. Momentos tensos em que muitas vezes só nos resta esperar por um milagre.

Eu realmente não sei o que acontece, mas o livramento chega inesperadamente. O milagre surge inexplicavelmente, cessa a dor que há instantes parecia eterna. Estou escrevendo esta carta para Deus, não só para pedir, mas para agradecer por tamanhas bênçãos recebidas, e muitos pedidos atendidos, principalmente para pessoas que eu não conheço pessoalmente. Agradeço por cada segundo de minha existência. Para mim, individualmente, não peço mais nada, pois me sinto a poetisa dos sonhos realizados.

Uma carta para Deus, muitos agradecimentos e um pedido: Deus, que o Senhor nos dê o discernimento, que possamos no mínimo entender um pouco de seus desígnios. Creio que a fé move montanhas, que tenhamos mais fé do que lamentos.

Neste momento me falta coragem, estou vendo tantos clamores, tanta gente desesperada, minha voz se ausenta. Resolvi escrever esta carta para ti Pai de infinita sabedoria.

Deus! Ultimamente tenho visto muitas coisas, presenciando varias situações, cada dia que passa agradeço cada segundo pela minha vida. Estou em dois mundos, em um só vejo reclamações e nada de humildade, as coisas ficando mais difíceis. No outro, vejo agradecimentos e o esforço em fazer o bem sem olhar a quem... 

E tudo fica belo, por mais simples que sejam os gestos e as atitudes. Às vezes, me sinto pequena por não conseguir espalhar ao mundo a essência e o antidoto para eliminar tanta maldade desnecessária. E mostrar que a esperança de dias melhores ainda existe, e se cada um fizesse sua parte haveria mudanças incríveis. Vivemos tentando desvendar segredos, e não fazemos uso das respostas que estão diante de nós todo tempo.

Estou escrevendo esta carta para Deus, que lá do céu ele possa banhar e purificar os corações, que cada um sinta o amor verdadeiro que vem do Pai, que nos ensinou amar e nos dá exemplos que só o amor constrói. E a vida é um presente que merece respeito. Obrigada, Deus, por nos amar incondicionalmente. Te amo.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.381470