Para presidente do PT regional, Cido deixou a Prefeitura de Araçatuba 'quase no vermelho'

Amigo de Feliciano, Cido pode trocar PT por partido evangélico

Corre, nos bastidores políticos de Araçatuba a informação de que o ex-prefeito Cido Sério, se deixar o PT, conforme prometido, pode se filiar ao PSC, partido ligado a grupos religiosos e considerado conservador.

A troca se daria por causa da proximidade do ex-governante com o presidente do partido no município, o pastor Rener Baptista. Cido também é amigo do deputado federal cristão e pastor Marco Feliciano. Ao longo de seu mandato, o ex-chefe do Executivo fez aproximação com igrejas evangélicas e ajudou a promover Marchas para Jesus nos aniversários de Araçatuba.

Cido disse à Folha, no final do ano passado, que pretendia se desfiliar do PT. Na eleição municipal de outubro, ele não apoiou o candidato a prefeito do partido Hélio Consolaro.

GUERRA SANTA
Durante as eleições municipais de 2016, Baptista assumiu a presidência do PSC em Araçatuba, supostamente por influência de Feliciano, após o deputado tomar conhecimento que a sigla havia declarado apoio ao candidato Dilador Borges (PSDB). Na ocasião, o comando do partido cristão estava com o pastor Josué Galdino.

Ao lado de Cido e Baptista, durante um culto evangélico no ano passado, o deputado afirmou que a legenda o traiu na cidade. Após criticar a fala de Feliciano na coluna Periscópio, da Folha, Galdino foi destituído do cargo.

AINDA FILIADO
O presidente do PT em Araçatuba, Fernando Zar, disse a esta coluna que Cido ainda não fez o pedido de desfiliação. Zar contou que conversou com o ex-prefeito pela última vez em agosto do ano passado, durante a campanha eleitoral.

“Ele não tem muito mais a ver com o partido. Isolou-se e fez gestão sem o partido. Pelo que estou acompanhando, ele deixou a Prefeitura quase no vermelho”, disse o líder petista na cidade.

Para o presidente do Partido dos Trabalhadores, Cido poderia ter saído do Executivo como uma liderança regional petista e se projetado para uma candidatura a deputado no próximo ano.

PARTIDO EM RECONSTRUÇÃO
Para Zar, o PT tem muito trabalho a fazer até as eleições de 2018, quando serão escolhidos o novo presidente e ainda governadores, deputados e senadores. De acordo com o presidente do partido em Araçatuba, a sigla precisa de militantes que queiram construir juntos. (Ronaldo Ruiz Galdino)