Para Márcio Pimenta, leite materno deve ser único alimento até os 6 meses

Amamentar reduz risco de câncer de mama

Orientações sobre materno devem começar no pré-natal

A amamentação é uma prática natural, capaz de trazer inúmeros benefícios tanto para a mãe quanto ao bebê. Até os seis meses de idade, o bebê deve ser amamentado apenas com o leite materno. Nesse processo, que envolve afeto entre mãe e filho, o apoio de família é muito importante. Em entrevista à Folha da Região, o doutor Márcio Pimenta, formado em ginecologia e obstetrícia e coordenador dos serviços de ginecologia e obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de Araçatuba, explica a importância do aleitamento materno e fala sobre as técnicas na hora de amamentar. 
 
Quais os benefícios que o leite materno proporciona ao bebê?
Para o bebê, os benefícios são o desenvolvimento de toda musculatura da face, desenvolvimento da arcada dentária, desenvolvimento da fala, menores chances de ter doenças, como otite, inflamações de garganta, melhora da imunidade, desenvolvimento e crescimento, além de proporcionar um afeto maior com a mãe. Os bebês que são amamentados têm bem menos chance de ter doenças pulmonares, bronquite, bronquiolite, e outras infecções.
 
Quais são as vantagens para a mãe? 
A mãe que amamenta tem muita mais afeição pelo bebê, do que outra mãe que não amamenta. Menores chances de ter câncer de mama, menores chances de ter câncer de ovário, perda de peso com mais facilidade, diminui o sangramento da mãe por meio de um hormônio que é secretado durante a amamentação (ele age no útero, contraindo-o e diminuindo o sangramento). 
 
Estresse influencia na produção do leite?
Todo esse período de amamentação deve ser feito em momentos de conforto. A mãe deve amamentar num local aonde ela tenha tranquilidade e esteja confortável com esse bebê e momentos de estresse vão fazer com que diminua a produção do leite. 
 
Porque é preferível o leite materno e não o leite adaptado (leite em pó)?
A parte industrial do leite ela se desenvolveu bastante e com isso o leite artificial é próximo ao leite materno, porém não é a mesma coisa. O leite materno é próprio para o bebê, na quantidade de água, na quantidade de nutrientes. Por mais que a indústria esteja evoluída, não é a mesma coisa. O leite materno está na quantidade e nos nutrientes próprios para o bebê.
 
Qual a posição mais indicada para amamentação do recém nascido?
A melhor posição é aquele que seja confortável para o bebê e para a mãe. Pode ser semi sentada, deitada - dependendo da posição, também pode ser amamentado. Tem que ter o cuidado para o bebê não regurgitar e engolir esse leite e até mesmo para a mãe tomar o cuidado de, às vezes, dar de mamar deitada e adormecer, e a própria mama ou a maneira de amamentar pode sufocar o bebê e asfixiá-lo. O mais importante é a técnica para que seja oferecido o leite para o neném, então tem toda uma técnica própria, a pegada da mama, como deve ser feita, que as vezes pode ser mais importante que a posição. Porque se não tiver a mama de maneira correta, na pega certa, o leite não vai ser ejetado para o bebê, e esse neném vai acabar machucando o mamilo e ai é onde vão aparecer as fissuras, as mastites, a mama ela não ejetando o leite vai ficar turva, cheia, com isso corre o risco dela ficar ingurgitada, que é quando ela fica bastante cheia e pode levar a casos de mastite.
 
Durante a gravidez, a mãe pode se preparar para amamentar? 
É muito importante a técnica da amamentação e isso vai ser desenvolvido durante o pré natal, com o obstetra, e depois no pós parto, o contato do pediatra com a mãe e o bebê é importantíssimo. A própria equipe de enfermagem vai orientar essa mãe nas técnicas de amamentação. A técnica, o incentivo da amamentação deve começar durante o período do pré natal. E quem tem contato com isso é toda a equipe que faz o pré natal, médicos, equipe de enfermagem, devem incentivar essas mães. Além de quebrar alguns mitos, tabus, para que isso não seja lembrado a partir do momento que o neném nascer. A amamentação é trabalhada a partir do exame de gravidez! E não quando o neném nasce. Muitas vezes a gente percebe que só no período do nascimento do bebê que vai pensar na amamentação e isso tudo gera um transtorno muito grande. Com isso, grande parte das mães não aderem a amamentação, acaba desistindo ou desmotivada. É fundamental a participação do pai da criança, no caso, o marido ou o companheiro nesse processo, para que incentive, ajude e participe, para que haja uma maior adesão por parte das mães e para dar confiança. 
 
Após a amamentação, o bebê deve regurgitar? 
Após a amamentação, a mãe deve deixar esse bebê mais em pé, de maneira que o leite vai voltar, vai regurgitar e depois vai voltar outra vez para o estômago do bebê. É um processo que faz parte da própria digestão, é normal isso acontecer. Porém, se a mãe não cuidar desse momento e deixar a criança deitada, quando ela regurgita e volta à boca, se ela estiver deitada, corre o risco de ir para o pulmão. Ela vai aspirar aquela secreção para o pulmão e em consequência disso ela irá ter complicações de acordo com aspiração. Pode até levar à óbito, ou uma pneumonia química. Pode levar a uma série de complicações para o bebê devido ao descuido no período pós amamentação. Não deixar a criança regurgitar em pé, não precisa sacudir o neném, nada disso. É preciso dar o tempo para que isso aconteça de maneira fisiológica e que, na regurgitação, não aspire para o pulmão. 
 
De quanto em quanto tempo é recomendado amamentar a criança?
Não tem regras quanto à amamentação. É demanda livre! Chorou, vai mamar, sem problema nenhum. Não tem hora, nem dia, nem local, desde que preserve toda essa questão da amamentação que é um período muito entre mãe e filho. Locais onde a mãe e o bebê se sintam bem para poder amamentar. O tanto que o beber sugar é a quantidade que ele vai beber, não há regras quanto à isso. Ele vai no ritmo dele, seja uma criança mais prematura ou não, em cada caso, tem que respeitar a vontade da criança. 
 
Em cada mamada, deve mamar nos dois peitos ou apenas em um?
Quando começar a amamentar, a mama iniciada ela vai até o final, deixando a criança sugar o tempo inteiro naquela mama. O quanto o bebê quiser. Então se estiver mamando na mama direita continua nela até o bebê não querer mais naquele momento. Na outra mamada já começa na mama esquerda, intercalando as mamadas. O ideal é começar numa mama e ir até o final. O leite tem todo um período na amamentação ele vem mais água, depois vem os nutrientes, gorduras, por isso não se deve dar de 15 em 15 minutos, isso é mito!
 
Quando deve desmamá-lo?
É preconizado pelo Sociedade de Pediatria, uma amamentação até os dois anos de idade, pelo menos. Então de 0 aos 6 meses, leite materno exclusivo. A partir dos 6 meses, você pode complementar de acordo com a dieta do bebê. Aí entram sucos, as papinhas, mas o ideal é amamentar até os dois anos de idade. A questão da água no período dos 0 aos 6 meses, deve ser avaliada em cada caso. Época de calor, crianças que estão em ambientes muito quentes, ambiente seco, complementar com água. Tem casos e casos. Tem que tomar cuidado com chuquinha, talvez tenha que dar na colher, porque ao pegar a chuquinha, pode ser que ressalva a questão da mama. A criança quando é amamentada ela gasta energia para tirar aquele leite da mama, vai sugar, tem que ter muito trabalho. Se você der a chuquinha e for complementando com muita coisa, ela acaba tendo dificuldades para pegar o peito.
 
Então a complementação com água pode ser necessária dos 0 aos 6 meses? 
Às vezes, a criança pode ter um quadro de diarreia ou uma desidratação, ou por outros motivos, e aí, você tem que complementar com água mineral mesmo, filtrada. O que não pode é dos 0 aos 6 meses dar leite de vaca ou complementando com outras coisas que não seja o leite. Isso vai atrapalhar a amamentação. 
 
Em caso de prolongamento desse período, quais são as consequências? 
Não existe nenhum risco. O que é preconizado é até os dois anos de idade. Se passar disso, não fará mal algum para a criança.
LINK CURTO: http://folha.fr/1.354219