ADOLESCENTE É BALEADO E MORRE EM TROCA DE TIRO COM PM

Teria ameaçado matar ex-namorada

Um adolescente de 17 anos, morador no bairro Água Branca, em Araçatuba, foi baleado e morto na noite de domingo (29) enquanto estava sobre o telhado de uma residência no Ivo Tozzi. Segundo a Polícia Militar, ele atirou contra os policiais, que revidaram. Uma pistola 9 milímetros que estaria com o rapaz foi apreendida e recolhida pela perícia, segundo o boletim de ocorrência.

O caso aconteceu pouco depois das 21h. A Polícia Militar informou que foi comunicada de uma briga entre casal no bairro Água Branca, em Araçatuba. A suposta vítima, que não foi qualificada no boletim de ocorrência, teria informado aos policiais que o ex-namorado dela, após discussão, havia deixado o local dizendo que retornaria para matá-la.

Enquanto os policiais militares registravam a ocorrência, o adolescente passou por eles em uma motocicleta e teria atirado contra as equipes. Teve início o acompanhamento pelas viaturas, com solicitação de apoio.

Quando já estava no bairro Ivo Tozzi, o rapaz perdeu o controle da direção da moto que conduzia e caiu com o veículo. Entretanto, passou a fugir a pé, pulando muros de residências.

Segundo a polícia, quando estava sobre o telhado de uma casa na rua Francisco Feliciano Batagelo, ele voltou a atirar contra os policiais militares, que revidaram. O adolescente foi atingido e uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi chamada para prestar socorro, mas o encontrou sem vida.

A Polícia Militar emitiu nota informando que nenhum integrante da corporação que participou da ocorrência ficou ferido e não há informação de quantos disparos de arma de fogo foram efetuados.

Uma pistola calibre 9 milímetros, de uso restrito das forças de segurança, foi encontrada caída no terreno ao lado da casa onde o adolescente foi baleado. De acordo com a polícia, essa foi a arma utilizada por ele para atirar contra os policiais.

O local foi periciado por equipe do IC (Instituto de Criminalística) que recolheu a arma, por isso, ela não foi apresentada no plantão policial. Sete policiais militares que participaram da ocorrência tiveram as armas recolhidas para perícia.

CORPO
A viatura da empresa funerária que faria o recolhimento do corpo para encaminhá-lo ao IML (Instituto Médico Legal) para exame necroscópico capotou quando seguia para o local.

Segundo o boletim de ocorrência, o veículo era conduzido por um agente funerário de 45 anos e já trafegava pela rua Francisco Feliciano Batagelo quando ocorreu a colisão.

A vítima contou que na altura do numeral 392, o condutor de um GM Classic desrespeitou o sinal de pare e atingiu a lateral do carro funerário. Apesar de o condutor ter fugido sem prestar socorro à vítima, que teve ferimentos leves, e sem ser identificado, a placa do veículo causador da colisão caiu no local e foi recolhida. Outro carro funerário foi enviado para recolher o cadáver.

Um boletim de ocorrência homicídio foi registrado pela morte do adolescente e a Promotoria de Justiça comunicada do caso. 

LAMENTA
Em nota distribuída à imprensa, o comando do CPI-10 (Comando de Policiamento do Interior) de Araçatuba informa que lamenta o desfecho da ocorrência e se solidariza com os familiares do adolescente.

"Aproveita o momento para ratificar que a Polícia Militar do Estado de São Paulo mantém o compromisso de defesa da vida e da dignidade da pessoa humana, inclusive dos agressores sociais quando obedientes aos ditames da lei e respeito às autoridades policiais", conclui a nota.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.402084