Acusado de homicídio é preso pela DIG

Morto a pedradas no Umuarama

Policiais da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Araçatuba prenderam um homem de 24 anos, morador em Buritama, acusado do assassinato de Paulo César de Almeida, 37. Morador no Jardim Paulista, ele foi encontrado morto na madrugada de 28 de maio, no bairro Novo Umuarama, próximo a uma pedra com sangue e diversos pedaços de blocos.

Após a polícia identificar a participação do acusado no crime, representou pelo mandado de prisão temporária dele, que foi concedido pela 1ª Vara Criminal de Araçatuba e cumprido nesta semana. A prisão é pelo prazo de 30 dias, período em que a polícia pretende concluir o inquérito e relatar à Justiça.

Naquela madrugada, policiais militares foram até a rua Valparaíso após denúncia de que no local estaria ocorrendo o linchamento de um homem que teria mostrado o órgão genital para uma criança.

Almeida foi encontrado sangrando, com ferimento na cabeça e caído próximo à guia. Ao lado dele havia um bloco de concreto sujo de sangue e diversos pedaços de blocos de cerâmica quebrados.

Não havia testemunhas e o resgate levou a vítima para o pronto-socorro da Santa Casa. Enquanto permaneciam no local aguardando a conclusão da perícia, os policiais foram comunicados da morte de Almeida.

CARRO
Ainda naquela madrugada, os policiais militares fizeram contato com um familiar que contou que a vítima estava em uma festa no bairro Umuarama e deixou o local no carro de um homem que disse que precisava conversar com ela.

Com base nessas informações, a polícia conseguiu identificar o acusado, que foi preso nesta semana. O delegado Alessander Lopes Dias informa que após a prisão, ele confessou ter saído da festa com Almeida no carro e levado para o local onde ele foi encontrado.

Ainda segundo o investigado, ele teria sido agredido por várias pessoas, mas o objetivo não era matá-lo. A justificativa para o crime é de que Almeida teria abusado sexualmente de um adolescente portador de deficiência mental. A polícia segue a investigação para tentar identificar outros possíveis envolvidos no crime.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.375362