Tufão Wipha chega ao litoral Chinês

Tufão Wipha chega ao litoral Chinês

O tufão Wipha atingiu a cidade chinesa de Xangai, com ventos de 162 km/h, às 2h30 (15h30 de ontem em Brasília). "É a primeira vez em dez anos que o olho de um tufão atinge Xangai", disse Ding Ruoyang, um dos responsáveis do escritório municipal de meteorologia da cidade chinesa.

A Província vizinha de Zhejiang, altamente povoada, foi a primeira fortemente golpeada pelo tufão, que perdeu um pouco de força ao atingir o continente. Autoridades chinesas retiraram ontem 1,8 milhão de pessoas de áreas costeiras do país.

Em sua passagem por Taiwan, ventos de até 173 km/h foram registrados pelo Escritório de Meteorologia de Taiwan. O fenômeno surgiu como uma tempestade tropical e se transformou em tufão anteontem.

Um trabalhador morreu e outro ficou gravemente ferido em Taipé devido a fortes ventos causados pelo tufão, informou o Centro de Gerenciamento de Desastres de Taiwan. Escolas e prédios de escritórios foram fechados no norte de Taiwan. Vôos com origem de Taiwan e destino ao Japão, Coréia do Sul e outros países asiáticos foram cancelados.

Cerca de 30 mil barcos de pescas da Província buscaram abrigo em portos na noite de segunda-feira. A circulação de trens também foi suspensa na região.

A pior tempestade a atingir a costa da China nos últimos anos foi o tufão Winnie, em 1997, que matou 236 pessoas. O tufão Rananim, que causou ventos de mais de 160 km/h, foi o mais forte tufão a atingir a China desde 1956, provocando a morte aproximadamente de 200 pessoas.








Edição impressa



- Assine a Folha
- Acesse a edição digital e anteriores (assinante)
- Experimente a edição digital por 15 dias

A Folha


- Sobre
- Diretrizes
- Expediente
- Contato
- Telefones
- Classificados
- Grupo no Whatsapp

Blogs da Folha


- A Morte sem tabus
- A vitória pela educação
- Coluna Ciência
- Noivas
- Padre Charles

Série da Folha


- Sua cidade em discussão