<b>DESTRUIÇÃO</b> Populares observam o carro envolvido no grave acidente

Mãe e bebê de 7 meses morrem na SP-319

Bebê de 7 meses e mãe morrem em acidente na SP-319

Letícia Alves Lopes, 24 anos, e o filho dela, Bruno Otávio Alves Tavares, de apenas 7 meses de vida, moradores em Luiziânia, morreram em um acidente na manhã de ontem na rodovia Raul Forchero Casasco (SP-319), em Alto Alegre. Eles estavam em um Gol conduzido por Diego Luiz de França Tavares, 23, que é casado com Letícia e pai do bebê. A mulher chegou a ser levada para o pronto-socorro de Penápolis, porém, não resistiu aos ferimentos. O bebê morreu no local do acidente.

De acordo com a Polícia Militar Rodoviária, o acidente aconteceu por volta das 11h40. Testemunhas informaram que a família havia ido para Penápolis pela manhã e retornava para casa quando aconteceu o desastre. Logo que passou pelo quilômetro 22 da rodovia, Diego perdeu o controle de direção, saiu para a pista contrária e quando tentou retornar o carro capotou, ainda sobre o asfalto, que ficou cheio de estilhaços de vidro.

Em seguida o veículo saiu para além do acostamento, foi arremessado contra um barranco e continuou capotando, até parar a cerca de cem metros de onde começou a girar.

TESTEMUNHAS
O comerciante Antonio Alves Teixeira, que também reside em Luiziânia e conhece as vítimas, passou pelo local logo depois do acidente. Ele contou que encontrou todos deitados no chão, já fora do carro.

De acordo com ele, um casal que vinha de moto no sentido contrário viu como aconteceu o acidente. Eles lhe disseram que não havia ninguém na pista e que o motorista perdeu o controle sozinho. "Eles comentaram que se a moto estivesse um pouco mais para frente teria sido atingida pelo carro", contou.

Segundo as testemunhas, a mulher e a criança foram arremessadas para fora do carro durante o capotamento. Mesmo com um dos braços ferido, Diego saiu do veículo e correu em direção ao bebê, que estava caído além do acostamento, e o levou para perto do carro.

Na sequência, ele teria virado a esposa de lado, pois ela estaria se engasgando com sangue devido a ferimentos na cabeça. Ainda, de acordo com as testemunhas, o rapaz estava lúcido. "Enquanto era atendido, ele ficou perguntando se o filho estava bem", comentou um dos policiais.

ATENDIMENTO
Teixeira informou que momentos depois do acidente uma ambulância de Alto Alegre chegou ao local, porém, o motorista estava sozinho e não quis tocar nas vítimas. Ele retornou para a cidade e voltou com mais uma ambulância e a equipe médica.

O resgate do Corpo de Bombeiros de Penápolis também esteve no local, porém, as vítimas já haviam sido socorridas. O estado de saúde de Letícia era bastante grave quando foi atendida.

A polícia não conseguiu identificar se a criança viajava no banco traseiro do carro ou estava com a mãe, no banco da frente. Uma equipe do IC (Instituto de Criminalística) de Penápolis esteve no local e por volta das 14h autorizou a retirada do corpo do bebê e do veículo, que ficou totalmente destruído.

De acordo com o pronto-socorro de Penápolis, Diego recebeu atendimento médico e ainda ontem poderia ser liberado. Até o fechamento desta edição, não havia previsão do horário do sepultamento das vítimas.






Edição impressa



- Assine a Folha
- Acesse a edição digital e anteriores (assinante)
- Experimente a edição digital por 15 dias

A Folha


- Sobre
- Diretrizes
- Expediente
- Contato
- Telefones
- Classificados
- Grupo no Whatsapp

Blogs da Folha


- A Morte sem tabus
- A vitória pela educação
- Coluna Ciência