Conceição Cinti é a entrevista da Folha da Região

Trabalho voluntário é solitário, diz chefe de entidade

Recuperar alcoólatras e dependentes de drogas é a missão da Casa de Recuperação de Vidas de Araçatuba, o Esquadrão da Vida, que existe há mais de 20 anos.

Criada pela advogada Conceição Damasceno Cinti, 55 anos, que é a presidente, a entidade abriga hoje 40 internos e ainda atende cerca de 15 externamente com palestras, trabalhos de oração, psicólogos e outras atividades sociais que visam recuperar os dependentes -- de crianças a adolescentes.

Com sede na Travessa Moema, 527, nas Chácaras Moema, em Araçatuba, o Esquadrão da Vida carece de ajuda financeira de voluntários e trabalha atualmente apenas com uma verba do governo.

Conceição, que é casada com o vereador Sidney Cinti e tem seis filhos, consegue separar a vida de mãe e esposa e ainda dar amor, carinho e compreensão para as pessoas que lá vivem.

Em média, o Esquadrão da Vida recupera em torno de 170 dependentes por ano e está entre as melhores entidades do gênero no interior do estado de SãoPaulo, ao lado de Bauru e Sorocaba.

Conceição Cinti fala da entidade e do seu trabalho em entrevista exclusiva à Folha da Região.

Folha da Região - Como se desenvolve o trabalho do Esquadrão da Vida?
Conceição Damasceno Cinti
- Ele tem dois pilares já que é científico e espiritual. A gente leva em consideração o ser humano em sistema integral. Temos atividades de rotina, como escola normal e atividades extras curriculares. Pela manhã tem o despertar. Às 6h45, a manhã de reflexão com Deus e depois do café tem a limpeza da chácara, do alojamento, lavagem de roupas e a preparação da comida. À tarde eles vão para a escola da rede municipal ou estadual e temos até alguns em rede particular. Temos ainda atividades extras, como teatro, canto, modalidade de instrumentos musicais como violão, teclado e também reforço de português e matemática. É que quando o dependente chega aqui ele geralmente está fora da Escola e aí a gente tem que correr para manter seu currículo escolar. Existe ainda a cura interior (oração), palestras a respeito de assuntos diversos como sexualidade, drogas e outros assuntos em geral. Também tem o Centro de Convivência da Criança e Juventude, que ajuda a promover a integração deles na sociedade.





Edição impressa



- Assine a Folha
- Acesse a edição digital e anteriores (assinante)
- Experimente a edição digital por 15 dias

A Folha


- Sobre a Folha
- Diretrizes
- Expediente
- Contato
- Telefones
- Classificados

Blogs da Folha


- A Morte sem tabus
- A vitória pela educação
- Noivas
- Padre Charles

Série da Folha


- Sua cidade em discussão